19º Dia : Nas dificuldades, eu mudo para pior. E aí?

Olá a todos os internautas!

Estamos já no 19º Dia do Jejum, e a pergunta de hoje é: “Nas dificuldades, eu mudo para pior. E aí?”

Acompanhe comigo no livro de Deuteronômio, capitulo 28, versículo 47:

“Porquanto não serviste ao SENHOR, teu Deus, com alegria e bondade de coração, não obstante a abundância de tudo. Assim, com fome, com sede, com nudez e com falta de tudo, servirás aos inimigos que o SENHOR enviará contra ti; sobre o teu pescoço porá um jugo de ferro, até que te haja destruído.”

Deuteronômio 28:47-48

Amiga internauta, Deus não quer destruir ninguém! Mas quando a pessoa tem a Deus, ou seja, vai na igreja, tem acompanhado o Blog, e mesmo assim insiste a viver do mesmo jeito, trabalha sem alegria, serve ao próximo sem alegria e sem bondade. Apesar de Deus ter suprido todas as suas necessidades, mas mesmo assim, fica cansada, murmura, deixa pensamentos “fixos” na sua cabeça, e pensa: “Eu tenho que trabalhar mais, servir mais…” “A esta hora que tenho que fazer isto? Já está no fim do horário de trabalho…”

O servir é uma coisa, que está ligada ao próximo. Você que acompanhou todos os posts neste Jejum, viu o que foi abordado aqui, que Deus fica muito triste, existe algo que O deixa muito chateado… É tudo o que é relacionado ao próximo, quando você tem problema com o próximo. Agora imagine, quando serve e apresenta a sua oferta para Deus, o seu dízimo. Vai na frente dá a sua oferta, coloca o seu dízimo no envelope e trás toda feliz… Esquece-se que o que entregou, é do fruto do trabalho que está a fazer… Se trabalhar com a mão remissa, reclama do patrão, das horas que tem que trabalhar, do peso ou da responsabilidade, das coisas que tem que fazer no trabalho e faz com tristeza, indignada, vê que alguém pede para fazer algo além daquilo, que “supostamente” era para fazer, sente-se agredida no seu orgulho.
Assim não está a servir a Deus!

E diz o seguinte: “Mas o meu patrão é endemoniado, o trabalho de casa pode esperar, posso fazer outra hora, estou cansada agora e não quero fazer desse jeito…” Quer dizer, depois chega no momento de falar com Deus, e está lá com a “cara limpa” a dizer: “Olha Deus, não sei o que está a acontecer comigo, porque é que estou a viver este momento péssimo na minha vida? Porque?” Porque mesmo quando teve abundância, apesar de ter sido suprida com as suas necessidades diárias, viu como um peso o facto de servir ao próximo, seja quem quer que seja! Não tem direito de servir com raiva, com peso, se faz isso com o próximo, imagine com Deus que não vê!

As suas palavras foram bonitas para Deus, na hora da busca, na entrega… Mas esquece-se de como está a servir ao próximo! Já seja acerca de respeito, de reverência aos demais, no sentido de colocar-se no “seu lugar”. Isso entristece a Deus, porque com lábios fala uma coisa, mas com o seu trabalho, o seu serviço é “pesada” e não vê a hora de ir de férias, para casa… Obviamente, que o trabalho stressa mentalmente, fisicamente, depende do que faz, e precisa do seu descanso. Isso não deveria ser motivo de ser um “peso”, de ficar a olhar apenas para o que vai ganhar. E reclamar: “Ah as minhas férias…”, “O meu salário…”, “Diminuiu 2 euros do meu salário…Veja só!”

Não vê o próprio serviço, faz com tristeza e desta forma não está a servir a Deus com alegria e bondade de coração! O que é bondade de coração? É não ter malícia! Não olha o próximo assim: “Está a abusar da minha boa vontade!”, “Ela está a fazer isso para humilhar-me…”, “Isso é porque ela quer pisar-me…”
Fica a julgar, a condenar…

Nessas dificuldades internauta, tem que corrigir as suas ações, para que então aconteça o que diz aqui:

“Assim, com fome, com sede, com nudez e com falta de tudo, servirás aos inimigos…”

Deuteronômio 28:48

É o que muitas pessoas acabam por fazer, começam a servir ao próprio problema, ao seu egoísmo e vão ter fome, sede, nudez, nada vai favorecer-lhe! Realmente! Já reparou que quando é egoísta, não quer servir… Veja como anda “faminta”, sedenta, veja como tudo lhe falta! Como acaba a servir ao seu egoísmo, não à pessoa refiro-me a um egoísmo seu, e torna-se um próprio “jugo” de ferro no seu pescoço, ou seja, anda pesada, cabisbaixa, com o seu semblante carregado, isso vai lhe destruir. Não é Deus que faz isso! É o seu próprio pecado que o faz.

Estamos já no 19º Dia do Jejum e você tem que vigiar, o tempo todo, não pode parar. Pode pensar o seguinte: “Ah depois dos 21 Dias, vou parar… Vou fazer tudo aquilo que estava a faltar nestes 21 Dias!”

Minha amiga, deveria ter aproveitado estes dias, para que venha a resolver o que lhe falta, porque vai faze-la ser feliz! Terá alegria e bondade de coração!
Quando serve a Deus, de forma correta e não da forma errada.
Repare no seu serviço, faça o melhor, vá além!

Se puder deixe o seu comentário, não para ficar a falar coisas sem importância, fale o que realmente precisa falar. Se não tiver nada para falar, não tem problema, quando tiver oportunidade ou quiser falar… Quando temos algo para dar, quando alguma coisa está a acontecer connosco, temos que falar. Eu sei disso! Quando nada acontece e estamos pensativas, realmente ficamos caladas, programamos nos para atuar da forma certa.

Um grande abraço para vocês. Amanhã estaremos de volta!

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *