A santa pedra

pedra_Cda

Continuação do post de terça…

Antes de Jacó fugir, ele se despediu de seu pai Isaque, que o abençoou mais uma vez e ainda lhe deu um conselho:

“Não tomes mulher dentre as filhas de Canaã. Levanta-te, vai a Padã-Arã, a casa de Betuel, pai de tua mãe, e toma de lá uma mulher dentre as filhas de Labão, irmão de tua mãe.”

Isaque não deu a Jacó nada mais que sua bênção, essa era a sua fé, que havia sido de seu pai, Abraão. Tudo ou nada. Se Deus é mesmo com ele, então quem ele abençoar será abençoado, independentemente das circunstâncias.

E, como um bom filho, Jacó obedeceu. Jacó pode não ter tido o perfil do filho que Isaque queria continuar a nação de Deus, mas ele tinha o perfil que Deus queria. Ele era obediente e sabia que sem Deus não poderia fazer nada. Ele dependia de Deus, tanto é que numa das noites fora de casa, enquanto dormia numa pedra no meio do caminho, teve a sua primeira experiência com Ele…

“Então sonhou: estava posta sobre a terra uma escada, cujo topo chegava ao céu; e eis que os anjos de Deus subiam e desciam por ela; por cima dela estava o Senhor, que disse: Eu sou o Senhor, o Deus de Abraão teu pai, e o Deus de Isaque; esta terra em que estás deitado, eu a darei a ti e a tua descendência; e a tua descendência será como o pó da terra; dilatar-te-ás para o ocidente, para o oriente, para o norte e para o sul; por meio de ti e da tua descendência serão benditas todas as famílias da terra. Eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei tornar a esta terra; pois não te deixarei até que haja cumprido aquilo de que te tenho falado… Jacó levantou-se de manhã cedo, tomou a pedra que pusera debaixo da cabeça, e a pôs como coluna; e derramou-lhe azeite em cima… Fez também Jacó um voto, dizendo: Se Deus for comigo e me guardar neste caminho que vou seguindo, e me der pão para comer e vestes para vestir, de modo que eu volte em paz à casa de meu pai, e se o Senhor for o meu Deus, então esta pedra que tenho posto como coluna será casa de Deus; e de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo.”

Deus só desce para quem quer tê-LO. Deus só fala com quem quer ouvi-LO. Jacó já tinha a bênção de seu pai e a promessa de Deus, mas, mesmo assim, ele fez esse voto. Sabe por quê? Porque ele queria fazer parte dessa troca de bênçãos também. Ele não queria ficar somente ao lado de quem recebe, como se tudo fosse automaticamente. Ele queria ter um compromisso sério com Deus, mesmo sem nada em seu bolso, ele fez o voto do dízimo.

Dízimo… Um palavrão para quem não crê, uma garantia para quem crê.

Continuação amanhã…

Cristiane Cardoso

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *