As três línguas da sua aparência

shutterstock_255801109Há uma série de estudos sobre a aparência, e como ela é importante no local de trabalho. Parece injusto que mulheres bonitas, altas e esbeltas ganhem mais do que suas colegas mais baixinhas e cheinhas que possuem exatamente o mesmo nível acadêmico.

Por que isso acontece? A maioria dos cientistas culpam os nossos preconceitos subconscientes que assumem automaticamente que uma pessoa mais alta e mais saudável tem mais qualidades de liderança, e que uma mulher mais bonita é mais persuasiva e, portanto, uma funcionária mais eficaz. Sem se darem conta, as pessoas chegam a essas conclusões usando uma parte do cérebro que se baseia no instinto, e não na lógica.

Provavelmente, isso seja verdade, mas há outras questões no trabalho também. Por exemplo, como essa mulher atraente se comporta? Ela é confiante? Será que ela se comporta de maneira diferente daquela mulher que está se sentindo insegura por causa da barriguinha estufada ou dos tornozelos inchados? O que ela sente a respeito de si mesma fala, e fala uma língua que é difícil de ignorar.

Não sou psicóloga, mas já me vi mudar de comportamento da noite para o dia por causa da maneira como me sentia a meu respeito. Eu posso até culpar alguém por não me tratar do jeito que eu quero, mas no fim das contas, somos eu e as minhas emoções que ditamos o meu comportamento.

Se estou me sentindo confiante, eu consigo entrar numa sala cheia de estranhos num bate-papo interessante e facilmente fazer um comentário engraçado na certeza de todos vão rir e apreciar o que eu tenho a dizer. É sempre divertido e agradável, e alegra o meu dia. Por que eles me ouvem? Porque através do meu jeito e aparência, eu digo que sou uma pessoa que vale a pena ser ouvida—e sem perceberem, eles acreditam nessa mensagem.

Mas também posso me pegar numa situação em que preciso explicar algo, e de repente me sentir constrangida, ficar paralisada ou não conseguir falar. Nessa hora, eu estou falando três línguas: minhas palavras confusas, a minha linguagem corporal desajeitada, e as roupas e maquiagem que escolhi. Eu posso ser a pessoa mais inteligente da sala, mas se declaro que não gosto de mim mesma nessas três línguas, é bem provável que as pessoas que me veem concordem comigo inconscientemente. Provavelmente vão sorrir educadamente e depois esquecer tudo o que acabei de dizer. Por quê? Porque foi exatamente o que pedi através da minha aparência!

Nós falamos através de nossa aparência e comportamento, e embora não possamos fazer nada acerca do DNA que herdamos de nossos pais, há muito que possamos fazer para que consigamos comunicar o que queremos através da nossa linguagem corporal, dos nossos olhares e de nossas palavras. E não é apenas o que dizemos aos outros que importa, mas sim o que dizemos a nós mesmas.

Ao entrevistar uma jovem que queria entrar para o Grupo Godllywood, eu perguntei por que ela achava que tínhamos orientações sobre a aparência e roupas. Ela rapidamente respondeu que é porque precisamos mostrar ao mundo que somos bonitas, e não puritanas e religiosas. Eu poderia ter dito ali mesmo que ela não tinha entendido nada. Nós encorajamos as mulheres e meninas a se arrumarem para abençoarem a si mesmas! Nós enviamos mensagens a nós mesmas de que somos mulheres de valor, o que então afeta o nosso comportamento e envia a mesma mensagem para os outros.

Como eu disse no meu último artigo, investir na minha aparência foi uma experiência muito espiritual, e eu fui abençoada com uma boa amiga que me deu um empurrão na direção certa. À medida que eu avaliava o meu corpo e aparência, uma coisa engraçada acontecia com o meu espírito. Eu passei a falar o que o meu espírito sempre quis dizer através do ato de investir tempo e esforço na minha aparência. Minha linguagem corporal mudou, minhas opiniões foram mais valorizadas, e não porque eu fosse mais bonita, mas porque eu estava comunicando meu próprio valor.

Para as mulheres que reclamam na hora de se arrumarem ou do quão injusto é que sejamos julgadas pela nossa aparência, entendam que enviamos uma mensagem de bondade ou desprezo a nós mesmas através de nossas escolhas. Assim, vista-se bem para si mesma, maquie-se para si mesma, e faça o seu cabelo para que a mulher que forte, feliz e inteligente que há dentro de você possa falar a seu respeito nas três línguas!

Evelyn Higginbotham

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

1 comentário

Filipa Leite Responder 6 Setembro, 2015 às 14:57

Obrigada