Audio: Extremamente ocupado? Qual é a jogada disso?

Vamos começar, a partir de hoje, a falar sobre o povo de Israel. O que aconteceu com quando estavam no Egipto, e o seu processo durante essa peregrinação.

“Todas as pessoas, pois, que descenderam de Jacó foram setenta; José, porém, estava no Egito.

Faleceu José, e todos os seus irmãos, e toda aquela geração.

Mas os filhos de Israel foram fecundos, e aumentaram muito, e se multiplicaram, e grandemente se fortaleceram, de maneira que a terra se encheu deles.

Entrementes, se levantou novo rei sobre o Egito, que não conhecera a José.

Ele disse ao seu povo: Eis que o povo dos filhos de Israel é mais numeroso e mais forte do que nós.

Eia, usemos de astúcia para com ele, para que não se multiplique, e seja o caso que, vindo guerra, ele se ajunte com os nossos inimigos, peleje contra nós e saia da terra.

E os egípcios puseram sobre eles feitores de obras, para os afligirem com suas cargas. E os israelitas edificaram a Faraó as cidades-celeiros, Pitom e Ramessés.

Mas, quanto mais os afligiam, tanto mais se multiplicavam e tanto mais se espalhavam; de maneira que se inquietavam por causa dos filhos de Israel;então, os egípcios, com tirania, faziam servir os filhos de Israel

e lhes fizeram amargar a vida com dura servidão, em barro, e em tijolos, e com todo o trabalho no campo; com todo o serviço em que na tirania os serviam.” (Ex.1:5-14)

Antes de chegarmos até Jesus, vivíamos presos, escravos no “Egipto”, carregando pesos e cargas pesadas.

Durante o tempo em que o povo viveu no Egipto, ainda que se multiplicassem e fossem uma ameaça para Faraó, o eram porque eram mais numerosos do que os próprios egípcios. E isso os assustou grandiosamente, de forma que usaram de astúcia para que o povo tivesse menos oportunidade de se multiplicar. Colocaram mais cargas e trabalhos de dura servidão, em barro e tijolos; trabalhos pesados, impondo-lhes uma vida sobremodo difícil.

Eles eram, literalmente, escravos!

O diabo escraviza a pessoa de tal forma, que ela não consegue sequer idealizar que existe uma oportunidade; tenta impedir que use a sua fé inteligente e que pense, que raciocine e veja os seus direitos.

O povo de Israel era numeroso, podia juntar-se com outros egípcios e impor a sua própria vontade porque venciam em quantidade. Mas como estavam em dura servidão, na escravidão, nao conseguiam raciocinar de forma inteligente. Então, levavam aquelas cargas de uma vida difícil, a fim de construir as cidades para Faraó.

Faraó tinha medo, assim como o diabo tem medo de si! O que mais o apavora não é o facto de ir à Igreja e de apenas conhecer as escrituras. O que realmente amedronta o diabo é você ter uma fé racional e inteligente, em que se coloca na sua posição, fazendo uso do direito que tem.

Então, o que ele faz? Ocupa a sua mente com preocupações, com cargas, com necessidades, sabendo que você tem o potencial de se multiplicar, de fazer uma revolução na sua vida espiritual, no entanto, fica estagnada por causa dessas muitas distrações, dos problemas na área familiar, no trabalho, na vida económica, na saúde… o diabo quer chamar a sua atenção, como está escrito:

“Eia, usemos de astúcia para com ele, para que não se multiplique, e seja o caso que, vindo guerra, ele se ajunte com os nossos inimigos, peleje contra nós e saia da terra.”

Quem é o inimigo do diabo, senão Deus?!

Quando se alia a Deus, vive uma fé racional e se define, colocando toda a sua força no que Deus lhe prometeu alcançar e na prática da Sua Palavra, tomando a atitude certa. Aqui reside o segredo para resolver as suas questões!

Veja que a estratégia do diabo é distrai-la; se não está “amarrada” aos problemas de hoje, talvez o esteja com coisas do passado, situações que vivenciou e lhe machucaram, e que ainda a atormentam.

O diabo não quer que raciocine e tome posse dos seus direitos, e você não o pode aceitar, de forma alguma! Tem que se levantar contra isso, e não apenas porque lhe digo! Só o fará quando assumir esse objetivo na sua vida, quando disser: “Espera aí! Eu não vou viver pela cabeça dos outros. O que Deus promete na Sua Palavra e me diz para fazer mediante a situação? É agir? Não me deixar levar pelas astúcias do diabo? Então é isso que vou fazer! Vou orar, jejuar, levantar cedo, ser disciplinada no meu trabalhao, eficiente, uma filha idônea, uma esposa exemplar… Não ficarei à espera que as pessoas me ajudem naquilo que devo resolver.”

Quando toma atitude, não apenas tem um objetivo como força, como aviva a sua fé. A sua auto-estima fica elevada! Como quando se exercita, o seu sangue fica ativo no seu corpo e traz-lhe vida.

É hora de ocupar a sua mente, não com problemas, mas com a Palavra de Deus.

Tenha objetivo de não viver pelas astúcias do diabo, mas de persegui-lo e atormentá-lo, fazendo uso da sua fé inteligente.

Na sexta-feira estaremos de volta, falando mais sobre Êxodo.

Viviane Freitas

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *