Audio: Largue o seu peso

Olá a todos os internautas. É muito bom estar aqui com vocês!

Estamos a ler o livro de Êxodo, e no último áudio falámos sobre as parteiras, a quem Faraó ordenara matar todos os filhos – “homens” – dos hebreus, porque ele temia o crescimento do povo de Israel. E esta ordem foi cumprida, tendo todos os meninos, desdendentes de hebreus, sido mortos, para assim tentar impedir o desenvolvimento daquele povo.

Mas veja o que sucedeu:

[floatquote]“Foi-se um homem da casa de Levi e casou com uma descendente de Levi. E a mulher concebeu e deu à luz um filho; e, vendo que era formoso, escondeu-o por três meses. Não podendo, porém, escondê-lo por mais tempo, tomou um cesto de junco, calafetou-o com betume e piche e, pondo nele o menino, largou-o no carriçal à beira do rio.” (Ex.2:1-3)[/floatquote]

Que fé evidenciou esta mulher, esposa de um levita! Tentou esconder o seu filho, mas não lhe sendo mais possível, preparou um cesto e largou o seu bebé à beira do rio.

E hoje, o que isto tem a ver connosco?

Tudo o que nós temos guardado, é normalmente o que valorizamos. O que preservamos, guardamos e escondemos, é porque tem valor.

Nos relatos, não percebemos que aquela mulher se tenha tornado injusta para com Deus. Apenas que agiu de forma inteligente!

E enquanto ela guardava, durante três meses, aquela criança inocente, estava atemorizada, porque sabia que não tinha o direito de o fazer.

E hoje, amiga internauta, o que tem guardado no seu interior que a tem perturbado, preocupado, tornado ansiosa, receosa, com medo, dúvidas e atormentando a sua vida, talvez durante meses ou anos? Somos nós que temos de nos desfazer do peso, pois, como humanos, guardamos o passado, aquilo que brilha aos nossos olhos, os nossos pertences, familiares, a quem amamos. E quando isso é ameaçado, ou fica em perigo, mexe com a nossa estrutura humana e corremos o risco de agir pelo sentimento.

Veja que não refere que aquela mulher chorou, “urrou” de dor, mas com certeza ela teve dores, como a de largar o seu filho, bebé, inocente, no rio, sem saber o que ía acontecer. Mas ela tomou uma iniciativa, uma atitude, que surpreendeu a Deus, permitindo-O usá-la, escolhendo um homem que se tornaria o libertador do povo de Israel. E assim acontece com toda a pessoa que age pela fé inteligente e que não fica estagnada aos seus sentimentos e dor.

Não adiantava esconder mais aquela criança, pois seria morta de qualquer forma. E assim a largou no rio. Quando o fez, largou, igualmente, a ansiedade, ao que estava presa, o que escondia e lhe era valioso.

Aquela mulher agiu de uma forma inteligente e a mesma coisa sucede connosco, quando largamos o que nos tem atormentado, aprisionado, talvez um desafio novo, um acontecimento que sucedeu nos últimos anos, com um familiar, filho, marido, irmãos, a que ficou presa. Ou um problema económico que tenta esconder, proteger e defender, de uma ou outra forma. E o que acontece? Muitas vezes surgem as situações difíceis, não para julgar Deus ou vê-Lo como injusto, mas para materializar a nossa fé. A atitude daquela mulher, sem ela saber, viria a salvar o povo através do seu filho!

Veja como o Espírito Santo se sujeita às nossas atitudes: Se aquela mulher permanecesse com o filho escondido, certamente teria sido morto, mas ela fez o surpreendente! Nada que alguém lhe ensinasse, mas de acordo com a sua própria fé. E isto chama-me muito a atenção: Quantas vezes nos prendemos a algo que não queremos soltar?! Filho, marido, diploma, carreira, futuro, família, seja o que for… Mas é isso que nos torna pesadas!

Imagine o tormento durante os três meses que a criança estava escondida… o medo, a falta de paz que aquela mulher teve, durante esse tempo. Mas ela tomou uma atitude: Largou!

Assim deve largar tudo o que está a guardar e a torná-la pesada, como receios ou medo de tomar atitudes.

Não vale a pena ser pesada! Talvez quando ouve falar de sacrifício, na Igreja, e Deus lhe pede algo, pense: “Deus, estás a pedir-me algo tão difícil!” Só que você não sabe que, quando Deus nos pede, é precisamente para arrancar o “peso” que está dentro de nós.

Quando aquela mulher largou o seu filho no rio, tomou a atitude de o colocar nas mãos de Deus. A atitude dela “disse” isso, e a sua atitude fala a respeito da sua fé! Fala a respeito do que professa e da forma que crê em Deus. A sua atitude revela quem é Deus para si. E sobre isso deve refletir, amiga internauta.

Todas as vezes que algo estiver a atormentá-la, seja o que for, largue! Coloque nas mãos de Deus e Ele providenciará algo que você não espera.

Na quarta-feira falaremos mais a respeito do que aconteceu com a criança, resultado da atitude daquela mulher.

Até lá, deixe o seu comentário, dizendo-me ao que está presa. Permita-me saber um pouco de si! Temo-nos disposto a cuidar de si através do Blog. Temos, a cada dia, um tema: Para obreiras, mães e filhos, para os jovens, assuntos de saúde, enfim, tratando de cuidar de si. Mas para cuidarmos melhor, é mais fácil quando se dá a conhecer. Então, participe aqui no Blog. A sua participação é valiosa.

Um grande abraço e estaremos de volta, na quarta-feira com o áudio.

Viviane Freitas

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *