Confissões de uma ex-esposa de pastor

ex_esposa_cdaFui a Igreja num domingo e neste dia tudo parecia igual, mas não era.

Havia um homem diferente naquela reunião, jovem, bem apessoado e muito discreto. Essa discrição salientava muito a presença dele, mas eu fingia não estar nem aí, como se diz. O seu comportamento com o passar dos dias parecia ser o melhor possível, ele sempre estava sério e não parecia nem se importar com a minha presença, pois eu fazia exatamente o mesmo com ele.

15 dias depois… Esse homem passou a fazer parte da minha rotina de trabalho…

A presença dele conturbava meu coração… E aos poucos ele foi se aproximando. Todos em volta já notavam as semelhanças em nosso jeito de agir, e até semelhanças físicas haviam, o que causavam muitos comentários positivos!

3 meses depois… Eu estava envolvida, e via que havia um futuro para nós dois, mas o imprevisto sempre vem… Uma denúncia de uma ex-namorada dele, obcecada, usou uma situação em que eles haviam se revisto há um pouco de tempo atrás, e resolveu expor que ela havia a beijado, sendo que já não namoravam mais.

O fato soou aos meus ouvidos como uma fraqueza, e também um descuido, mas não vi ali motivos para desistir daquele homem, já que falhas são naturais a qualquer ser humano.

Ele foi transferido para um outro estado e agora tudo seria ainda mais difícil…E a distância semeando a saudade, seguia…

8 meses depois… Fui visita-lo. Já podia dizer que ele era “meu” namorado. Que bom ter esse título de ser namorada de um homem tão especial para mim.

O pior ainda estava por vir: Ele já com uma certa idade, e os hormônios à flor da pele me tentava muito!

Eu não sabia o que fazer. Na verdade eu me sentia tentada pela minha própria cobiça, o que ajudava a carne fraca. Enfim vários momentos de muita resistência eu tive que passar. Parecia que aquilo ia me matar, eu percebia nele dois lados: um com frutos excelentes – outro com frutos doces mas com um final amargo. A cada beijo essa era a sensação.

Eu resisti… Eu temi… Eu chorei… Eu escolhi crer em Deus e não nos meus desejos. Eu rejeitei a proposta boa à carne e aceitei pagar o preço de renunciar! Mas a culpa era como se eu tivesse cometido pecado!

Fui embora para casa e muito amargurada! Temendo o que a consciência ia me dizer dali para frente… Ela foi cruel! Ela me disse que nada mais ia ser como antes… E não foi!

Lembro da reunião do dia 24/08/2012 da senhora e do Bispo Renato com os obreiros solteiros – foi marcante, ouvi o que precisava e entendi como deveria agir! A senhora inclusive citou como que era possível algumas obreiras que namoravam pastor não se darem mais o respeito e ainda dizerem: Eu tenho fé para isso!

O que dizer dele?

Eu o vi com bons olhos, isso em excesso é prejudicial. Eu não o julguei! Tomei o fardo todo para mim, afinal a mulher tem sempre o desprazer de ser a maior culpada pelo fruto proibido. Na verdade quem estava podre estava tentando me apodrecer junto! E eu achava que era a culpada de tudo! De certo modo fui por não ter reagido de maneira diferente, ao invés de ser tão passiva.

O meu único pensamento era de que eu era fraca e não sabia me comportar como uma mulher de Deus deveria se comportar, era a única explicação para o que estava acontecendo… Não era falta de orientação, mas a prática trás os riscos!… Procurei ajuda divina e o perdão pelas minhas fraquezas! Fiz um voto que só ia tornar a vê-lo depois de casada, se Deus assim permitisse… E assim foi!

Em 9 meses nos casamos… Eu me preocupava em me preparar para o Altar – preparar para ser esposa, para viver a vida de casa para a Igreja, para tudo o que envolvia ser serva, mas esqueci de cuidar mais ainda da pessoa que iria me levar para o altar. De fato eu me preparei e fui excelente esposa e serva! Mas por outro lado não havia a totalidade.

O fogo que ardia em ambos não ardeu como antes. Onde estava? Por que apagou? Eu queria entender, mas não conseguia…

Ele era frio, indiferente, não falava, não dava carinho e não cumpria o papel de chefe de uma família. Era eu e Deus agora!

Eu nunca deixei a minha confiança em Deus ser abalada… Ele sempre foi meu Amigo!

Após pouco tempo de casada o pior chegou. Ele não era apenas um homem que precisava aprender a ser marido e que tinha defeitos, ele precisava aprender a ser homem em primeiro lugar.

Ele havia se relacionado com uma jovem no período do nosso namoro e ninguém sabia, somente eles, Deus e o diabo! A verdade veio a tona e mais ainda, ele era um aliciador de meninas e mulheres pela internet, através de um Fake (nome e foto falsas em uma conta do Facebook) ele seduzia e convencia elas a se exporem para ele, a grande maioria fazia isso e se comportavam na igreja como se fossem mulheres santas. Muitas delas eu estava ajudando a libertar, inutilmente, já que o inimigo dormia do meu lado.

Eu fiz a melhor escolha. Esquecer esse falso amor. Eu procurei a pessoa que foi envolvida com ele, na mesma semana, e dei um abraço nela e agradeci por ter tido coragem de tomar essa atitude que me libertou. Abracei ela e a perdoei! Dei a ele também o meu perdão e pedi perdão se eu fiz algo para ele!! Vejo tudo isso como um grande livramento de Deus na minha vida!

Eu tive o privilegio de ter pessoas em meu caminho que foram mais que pai e mãe para mim, mas aquele que me colocou no colo foi o Espirito Santo, insubstituível para mim! Ele tem poder que trás restauração, mais que qualquer pessoa.

Demorou mas eu enxerguei a tempo de não perder a minha alma e nem jogar fora o meu ministério. Hoje quando eu for passar novamente por todos os processos de conhecer, investigar, namorar, e decidir casar… Eu vou fazer tudo diferente. E o Altar vai me devolver tudo em dobro!

As dores e marcas de perder a família, o lar e principalmente o Altar são meus sacrifícios de hoje, mas os testemunhos de amanhã! Continuar me enganando e passando panos quentes sobre um falso adorador de Deus seria muito pior para mim…

A verdade dói, mas é a única que liberta. E agora eu sei que o melhor de Deus está por vir. Muitos anos de felicidade hão de me alcançar, e um futuro que vai ser da vontade de Deus, não mais da minha!

Uma ex-esposa de pastor

Cristiane Cardoso

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

1 comentário

marhya rodrigues Responder 11 Fevereiro, 2015 às 15:19

Nossa, muito forte,essa historia,eu lendo,pude ver a dor que ela sentiu ao passar por tudo isso,mas não deixou de confiarmoela mesma declara. Mas graças a DEUS,ela nao deixou se levar por um sentimento momentanio,pois esse sentimento poderia levar ela pro inferno,mas ela escolheu Jesus,e com certeza Ele vai a recompensar extrordinariamente,pois seu sacrificio pode dor hoje ,mas amanha a senhora ira olhar o que sacrificou i ra:” Valeu apena,por que DEUS,ira lhe um homem de fato que Seu carater e seJa um verdadeiro homem de DEUS QUE ira lhe fazer muito feliz

Na fé.