Crente usa esse tipo de roupa?

shutterstock_209938624

“Cris, a minha mãe diz que crente não deve usar calças, nem blusas sem mangas, mesmo que seja com alça larga, nem brincos, colares, pulseiras, e esmaltes mais escuros. Só que eu te vejo usando todas essas coisas moderadamente e não acho nada demais… meu esposo até gosta que eu use e diz que não tem nada a ver mas eu me sinto mal por causa do que a minha mãe diz.”

Queridas, hoje quero usar esse comentário que recebi essa semana para ajudar tanto a essa leitora como a todas que estão com o mesmo dilema… o que uma mulher cristã pode e não pode usar?

Primeiramente, eu não me considero crente, pois esse termo pegou um conotação muito negativa nas últimas décadas… muitas pessoas já associam ser crente como ser bitolada, infelizmente. Creio que é por isso que existem tantos desentendimentos com a Palavra de Deus – uns levam tudo ao pé da letra, outros complicam tudo, e outros escolhem o que serve ou não nela. Eu porém prefiro aceita-la 100% mas também usar a minha inteligência e entender o que ela está querendo dizer…

A Bíblia fala do assunto de vestes poucas vezes e dentro de um contexto bem diferente dos dias atuais… veja uma das primeiras:

“Não haverá traje de homem na mulher, e nem vestirá o homem roupa de mulher; porque, qualquer que faz isto, abominação é ao Senhor teu Deus.”

Deuteronômio 22:5

Por quê você acha que Deus deixou essa orientação através de Moisés ao povo de Israel?

Vamos ao contexto: o povo tinha sido escravizado por 400 anos, o que o levou a perder toda identidade original que trouxera de Abraão, Isaque e Jacó, seus antepassados. A escravidão mexe com a estrutura de um povo e por isso, Deus teve que ajuda-lo a voltar aos valores e princípios antigos.

A mulher que se veste como um homem está deixando de ser quem ela é também, está perdendo a sua identidade original, e toda vez que uma pessoa perde a sua identidade, ela se torna escrava dos outros.

Naquela época, os homens usavam “saias”, da mesma forma que as mulheres, só que suas saias eram saias masculinas. O mesmo acontece hoje. Os homens usam calças da mesma forma que as mulheres, só que suas calças são masculinas. Tem países hoje em dia em que os homens usam saias e nem por isso deixam de ser homens ou perderam sua identidade, pois naquele lugar, essa é a cultura. Já na cultura brasileira, se um homem usar saia, o que quer dizer que ele está perdendo sua identidade original.

Numa outra passagem, já no Novo Testamento, o apóstolo Paulo escreve para Timóteo dando a seguinte orientação à Igreja:

“Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos,”

1 Timóteo 2:9

Vejamos o contexto de como as mulheres se vestiam nessa época antes de levarmos esse versículo ao pé da letra:

Infelizmente nessa época, muitas mulheres não tinham outra escolha de sobrevivência, a não ser a prostituição. Elas não podiam trabalhar e por não terem direito algum, eram desvalorizadas quando seus maridos se divorciavam delas ou não conseguiam se casar com alguém. Então para chamarem atenção dos homens, usavam penteados elaborados, muitos acessórios, e vestidos preciosos.

Se o apóstolo Paulo vivesse na nossa época, ele iria citar o tipo de roupa que as mulheres usam para chamar a atenção masculina nos dias atuais:

  • Minissaias
  • Decotes para mostrar os seios
  • Costas de fora
  • Calças coladas no corpo
  • Fio dental
  • Barriga de fora
  • e outras por aí

Num outro versículo, Pedro também fala sobre as vestes da mulher:

O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura dos vestidos; 1 Pedro 3:3

Ou seja, esse não era o enfeite da mulher de Deus e sim das mulheres “da vida”, hoje, esse enfeites não são mais os enfeites usados para chamar atenção masculina, aliás, hoje, quanto menos roupa, mais atenção as mulheres conseguem.

O nosso verdadeiro enfeite está na continuação desse versículo:

“Mas o homem encoberto no coração; no incorruptível traje de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus.Porque assim se adornavam também antigamente as santas mulheres que esperavam em Deus, e estavam sujeitas aos seus próprios maridos.”

1 Pedro 3:4-5

Essa é a beleza interior, a beleza que não precisa acabar com os anos, pelo contrário, só aumenta na vida daquelas pessoas que investem nela.

Isso quer dizer que não devemos cuidar do nosso exterior? Não, pelo contrário. Quem tem essa beleza interior resplandece essa alegria, paz, mansidão, e serenidade através do seu exterior também e tem prazer em se cuidar, porque se ama.

Também não é pecado estar na moda desde que esta não seja para chamar o tipo de atenção errada. Existem algumas modas que eu optei por não usar, que não chamam a atenção errada mas que falam o que eu não quero falar… fica para um futuro post 🙂

Cristiane Cardoso

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *