Cris 1995

IMG_1103 Passamos o ano-novo no avião e chegamos a Londres para abrir o trabalho da igreja lá no primeiro dia de 1995. Diferente de Cape Town, chegamos num país sem nem casa para morar. Moramos um mês em um hotel e, para diminuir as despesas, comemos McDonald’s e Pizza Hut todos os dias… não aguentava mais. Até que conseguimos alugar uma casa onde morariam três casais e mais um rapaz solteiro. Em um mês, deixamos de ser só dois para sermos 7. 🙂

Foi uma época gostosa e a procura de um lugar para fazer reuniões foi intensa, até que começamos a fazer reuniões numa igreja Anglicana em Brixton. Evangelizávamos nas estações de trem, mas o povo lá não é muito aberto para esse tipo de coisa, então a aceitação foi bem difícil. Todos os dias, o Renato saía com os demais pastores para procurar uma igreja para alugar e, por não ter lugar no carro para todos nós, eu ficava em casa com as esposas… e ficamos muito amigas. Havia uma padaria perto da nossa casa com uma baguete deliciosa. Sentávamos na cozinha para comê-la com uma manteiga de alho fora desse mundo, e conversávamos sobre nossas experiências e tal. Foi nessa época que engordei alguns quilinhos pela primeira vez na minha vida. Quando chegou o verão e abri a mala que veio da África, nada me servia 🙁

A cidade de Londres é bonita. As casinhas juntinhas, as ruas apertadinhas e tudo bem antigo, dá a impressão de que voltamos no tempo… mas não foi fácil me adaptar com o povo inglês.

IMG_1104Nunca vou me esquecer de um dia ver uma senhorinha na rua pedindo esmola. Ela estava toda sujinha e machucada. Fui até ela para falar de Jesus e ela me deu um fora que eu não tive nem reação… o mesmo aconteceu quando estava na porta da igreja, que conseguimos inaugurar em junho daquele ano. Eu estava ali evangelizando as pessoas na porta e vi um senhorzinho com muita dificuldade de andar… quando ele passou em frente à igreja, fui até ele e ele só faltou me bater!

Vou ser sincera com vocês, em Londres, eu chorei, mas não foi o Renato que me deu motivo… foi o povo. Os ingleses são desconfiados e muito incrédulos. Foi uma decepção total já que foi de lá que o Evangelho desenvolveu e saiu para o mundo… derramei muitas lágrimas pelo povo lá, não porque me sentia injustiçada, mas porque comecei a amá-lo como a nenhum outro… até hoje, sou apaixonada pela Inglaterra, mas isso porque aprendi a amar o povo inglês.

Tudo para nós foi difícil lá em Londres. Não podíamos evangelizar nas ruas, não podíamos abrir igrejas nos locais mais visíveis, não podíamos falar de Jesus no rádio ou televisão… enfim, tudo era banido pelas autoridades locais! E foi assim que aprendemos a trabalhar de uma forma mais inteligente… viu, tudo coopera!

A Cris em 1995 foi uma Cris bem ativa na igreja, animada com o desafio de um país frio e distante de Deus, e mais gordinha (saudável) 🙂

Na fé.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *