Diário: Eu Não Entendia… assim (2ª parte)

diario2_cdaA Retrospetiva 2014 foi a melhor de todos os anos, pois não era só ensinar o povo como viver a fé, eu estava inteiramente a viver o sacrifício.

E para ser sincera, nunca ouvi tantos comentários sem ao menos ter que perguntar … E tantos resultados de pessoas à procura do que ali foi apresentado. Elas viram e perceberam o que, até então, não entendiam. Eu sei que isso é obra exclusivamente do Espírito Santo.

Porém, o que venho falar hoje e que não é sobre a retrospetiva, porque isso deixei claro, são algumas aspetos, pinceladas dos vídeos postados aqui no blog. E estou a falar do passado para poderem entenderem o que estou a viver neste ano de 2015.

Através do argumento, posso referir com todas as letras os detalhes que o vídeo não exprime. Certamente daria um filme, um livro ou até mesmo uma novela de tantas coisas que surgiram na minha vida.

… Mesmo não dando atenção à situação, ainda sentia a dor. Não podia falar do assunto com Deus, que lá estava eu a derramar-me em lágrimas!!

Uma vez estava ao lado de uma esposa e fiquei envergonhada, porque na reunião chorava de forma diferente de todas as outras vezes, era mesmo um choro profundo, pois era a expressão das muitas dores. E imediatamente, ao terminar a reunião ela me perguntou: “O que está acontecendo consigo? Não gosto de vê-la chorar assim!”

“Oh my God!!” – Ela tocou na minha ferida! As minhas lágrimas começaram a surgir novamente, quando fui interrompida por uma menina. E aí estancou. Graças a Deus pela menina! Salvou a minha pele de nutrir o que estava a doer dar.

Ninguém sabia que o Luís iria viajar. Eu tinha que ser discreta, aprender em silêncio a contêr.

Os dias iam passando e queria ficar cada segundo ao lado do Luis, ainda que fosse somente para auxiliar esse novo IBURD. Estava disposta, mas sabia que aquilo era eu, mãe! Então tinha que deitar fora aquela necessidade de ficar ao lado dele e fixar toda a minha atenção para aquilo que Deus me chamou.

E na verdade, a minha atenção estava muito voltada para tudo o que estava a acontecer. Ao mesmo tempo que queria expôr as maravilhas de Deus, também estava à “caça” do que Ele queria que eu fizesse.

E lá estava Deus mudo!

– “Como? Mudo?! Porquê?!!”

“Ué …” – Se estava tão concentrada na minha “dor” e a viver o “meu” mundo e a não O servir! Como é que Ele falaria comigo se eu estava tão ocupada com pensamentos em “curtir” os meus últimos momentos com meu filho?

Ih Gente! Esqueci de referir que no dia da Reunião da Retrospetiva 2014, também acontecia no mesmo dia em Los Angeles. E quem estava a enviar-me um Skype 15 minutos antes da reunião? Vera … (a minha outra filha)!!

Aquela que sempre estava ausente e raramente entrava em contacto comigo, naquele preciso momento perguntava-me qual o vestido que deveria usar para a ocasião? Eu sem saber o que fazer, não tive reação! E não queria focar o “meu” mundo. Nem respondi, Luís imediatamente escolheu por mim.

Bem e ficou assim!

Assim sendo, quando estamos envolvidos com os nossos pensamentos, no “nosso” mundo não servimos a Deus, logo Ele não fala, fica mudo. Ele só atende à fé inteligente. Lindo não é?

Pois é! E após a ida dos meus pais, o Júlio menciona que iríamos para o Leste Europeu. E eu disse: “Eis-me aqui!” Porém, ele salienta também que o Luís estaria a ir o quanto antes para o país que ele iria, para se habituar o quanto antes, já no mês de janeiro.

Oh oh!! Espera aí! Ele mecheu com a “leoa”! Ups…
Quando ouço isso, falo com ele seriamente: “Porquê isso? Por favor, não faça isso! Deixe ele ficar pelo menos mais um pouco, lá sei quando vou vê-lo de novo?” Ai, lá vem ele explicar e com certeza …, ele tem toda a razão. Tenho que ouvir e aceitar. A “leoa” tem que virar um “gatinho”, recuar e aceitar.

Bem, aí vem a secretária dizer: “Olhe, o Bispo quer viajar tal dia.”

– “Oh meu Deus! Já?”, pergunto!

– “Ah! Mais. O Luís tem que ir junto! Se não for, eu não vou.” – Falei assim, para fazer “charmezinho”, a ver se ganho algo …!! Mas a verdade é que …, lá estava a falar isso só com a secretária e o Júlio nem estava na sala, pois sabia que eu não tenho o direito de escolher. – Mas era uma tentativa!

Entretanto, não serviu de nada! E também não fiz questão, uma vez que no fundo eu queria servir e não ficar voltada para as minhas necessidades. Pois já havia aprendido a lição anteriormente. E realmente deixei Deus conduzir-me: “Pode levar-me para onde o Senhor quiser! Não vou dizer o que quero. Quero sim ir para esta viagem, porque preciso conhecer o povo e as esposas que estão nesses países para ajudá-las.”

E então falei: “Deus fala comigo nesta viagem. Fale, fale …”

E nada … !?

Os 21 dias do Jejum estavam a aproximar-se. E agora com todos os imprevistos e viagens que surgiram, como vou trabalhar para os internautas?

Sempre com antecendência de qualquer Jejum, quero está envolvida de forma a dar para o povo da Igreja, pois sei que é uma oportunidade de ganhar mais almas ali. Contudo, com a viagem, pensei: “Não terei como fazer! Mal sei como será a minha vida, que imprevisto acontecerá …”

E ainda assim, nada de Deus falar.

Eu estava “encucada” com o silêncio de Deus e a situação que em que me encontrava.

– “Porque é que Ele está em silêncio?” -, pensava eu?
– “E porquê que Ele não está a inspirar-me com coisas novas e a dar-me direção?”

Mas mesmo assim, continuei a esperar.

Viajei para a Espanha, depois França e somente quando cheguei à Moldávia, é que algo aconteceu…

Vamos saber no próximo artigo, pois é muito forte para dar continuidade agora. Aguardem!

Um grande abraço!

Viviane Freitas

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

2 comentários

carla Responder 1 Abril, 2015 às 1:37

Deus é tudo na vida ele é que nos guia. Obrigada a Bispos Pastores Esposas e Obreiras por nos ajudar a orientar. Um muito obrigada ao Centro de Ajuda de Beja-Alentejo que me tem ajudado e o núcleo de Castro Verde

Tayane Braga-Manaus Responder 1 Abril, 2015 às 5:49

de sacrificio em sacrificio né d. vivi