Diário JJ – Como Parar De Ser Vítima

Quinta-feira, dia 3 de julho de 2014

Olá, queridas! Estou devendo um dia de diário esta semana, não é mesmo? Então vamos lá. Ontem estive em várias reuniões, e a primeira começou às 8 horas da manhã. acris

Pensa… Para estar no lugar às 8h, eu tenho que sair de casa às 7h e por isso tenho que acordar as 6hs! Para quem acompanha as orações da meia-noite e espera o marido chegar para ir dormir a 1h da manhã, você pode imaginar… Sem contar que cada reunião que participei era sobre um assunto diferente… Quer dizer, foram tantos assuntos o dia inteiro, mais as gravações de TV, que quando chegou quase no final do programa ao vivo das 20h a bateria da Cris literalmente acabou…

Graças a Deus, hoje ela está cheinha e super animada para a Palestra “Quero, mas não consigo”! Estaremos nas duas palestras, às 15 horas e às 20 horas, e ungiremos o seu dedo da aliança com o azeite que abençoamos no Templo de Salomão pela segunda vez 🙂

Hoje pela manhã eu estava pensando em uma de minhas experiências do passado… Vocês sabem que eu sempre digo que era insegura e me achava inferior tanto ao Renato como às outras pessoas, não é mesmo? Mas vocês sabiam que eu também me achava boa demais para o Renato? Isso não é contradição não, deixe me explicar!

Por eu me achar inferior e ter muitas inseguranças ao meu respeito, eu então tentava fazer tudo da melhor maneira possível, tentando, assim, fazer com que o meu marido me elogiasse e apreciasse mais. Eu pensava que se ele fizesse isso, eu me sentiria mais segura comigo mesma, então… até mesmo antes de me casar eu decidi ser a melhor dona de casa, já que, na época, aos meus olhos, essa seria a minha principal função na vida (visão de formiga).

Quando o Renato chegava em casa, ela estava impecável. O jantar estava prontinho e as roupas todas lavadinhas, passadas e organizadas perfeitamente no armário. É claro que eu ficava o dia inteiro (literalmente) trabalhando, sem sequer uma horinha de descanso… então você já pode imaginar: ele chegava cansado e cheio de assuntos e problemas na cabeça, e eu o esperava pedindo a apreciação por tudo que tinha feito no dia. E essa apreciação… não vinha, nem em forma de conversa, nem em forma de atenção.

Daí eu me enchia de razões de como o Renato não fazia por mim o que eu fazia por ele, e aquilo só aumentava ainda mais a minha autojustiça.

Esse é o problema de muitas pessoas. Elas são arrogantes e nem sabem! Por serem inseguras em vários aspectos, pensam que são humildes, mas, no fundo, acham que são mais justas que as outras pessoas. Esse era um dos meus problemas.

A pessoa que é muito justa aos seus próprios olhos tem mais defeitos que as demais, porque ela não se enxerga!

Quem não se enxerga, não melhora como pessoa.

Ela é como aquela água parada, que chega a feder… eu dou graças a Deus por Ele ter aberto os meus olhos um dia para isso, senão creio que hoje eu teria perdido tudo que um dia conquistei.

Beijinhos e até amanhã 🙂

Cristiane Cardoso

Tags:

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *