Doente, e agora?

Se está doente, acamada, desesperada e, mesmo orando, falando com Deus, continua sem saber qual é o seu papel, preste atenção:

“Caminhando Jesus, viu um homem cego de nascença. E os seus discípulos perguntaram: Mestre, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Respondeu Jesus: Nem ele pecou, nem seus pais; mas foi para que se manifestem nele as obras de Deus.” (Jo.9:1-3)

doente_cda
Talvez esteja acamada, a perguntar qual o pecado que cometeu ou o que fez para estar nessa situação, que a deixa amargurada e triste. E diz: “Tenho falado com Deus, mas a situação tem piorado. Quanto mais eu oro, mais “assombração” aparece.” É o que muitas pessoas dizem.

Para a cura, para a libertação e a manifestação do milagre, existe uma conquista!

Mas antes de nos adiantarmos, é importante dizer-lhe que há problemas de saúde que são de origem espiritual: resultantes de bruxaria, um mal hereditário, etc. E outros, físicos, os quais resultam de um descuido ou lapso, pela falta de cuidado, como a alimentação inapropriada.

Deve sempre ir ao médico, fazer os exames, tomar a respetiva medicação e recuperar-se bem. Porque, às vezes, foi além do seu limite e o seu corpo é isso mesmo: um corpo. Então, exige a alimentação correta, horas de descanso, exercício físico, dentre outros cuidados igualmente importantes.

O problema de saúde nada mais é do que uma forma de manifestar a sua fé. Não é questão de ter pecado ou errado, se foi herança de pais, etc., mas para que a Obra de Deus seja manifesta em sua vida.

Não é motivo para murmurar, questionar, estagnar, ficar triste e fazer-se de vítima, quando isso nada resolve.

Enquanto os discípulos faziam perguntas, aquele homem permanecia igual. Então, não é caso de sabermos as respostas, mas daquilo que deve ser feito!

Eu não sei qual é o seu caso, mas deve tomar as providências necessárias relativamente à ação da sua fé. O Senhor Jesus levou sobre Si todas as nossas enfermidades. Quando participa na Santa Ceia, enquanto faz uma oração na Igreja ou manifesta a sua fé em casa ou onde quer que esteja, e determina, crendo, obtém a resposta!

Mas talvez fora do ambiente de fé, não assume, realmente, a sua cura e permanece doente. Fala com Deus de uma forma e age de outra. Não continua na fé e não persegue a sua cura. Em outras palavras: Pretende uma coisa e age de forma contrária ao que professa.

A fé não funciona dessa forma. Há que ser firme naquilo que determina, seja relativamente a um problema físico ou espiritual. Deixe de murmurar, de dizer que “não pode” e olhar para si como uma vítima. Resolva essa questão! Levante-se dessa prostração, deixe as palavras negativas e fale de forma positiva.

O que tem a dizer? Vai agir a sua fé e tomar as devidas providências? Revele a Deus a sua fé, a certeza de que Ele ouviu a sua oração e a curou. Porque, de outra forma, colherá as consequências de uma fé com dúvida. Olhe para a frente e reaja de uma forma positiva.

Talvez esteja acostumada a ouvir mensagens de fé, faz a oração mas permanece prostrada. É você a responsável pela sua vida! E se está a colher frutos de dúvidas que a têm fragilizado e fazê-la olhar para as circunstâncias, não permaneça dessa forma, mas manifeste a sua fé.

Viviane Freitas

Tags: ,

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *