Eu queria ser mais feminina…

shutterstock_60799897Eu não sei você, mas toda menininha que eu conheço adora se vestir com as roupas da mãe, andando para lá para cá com seus saltos altos, usando seu batom e fingindo ser uma linda senhora.

Amar a beleza e querer ser feminine está programado dentro de cada uma de nós de um grau para o outro. Conforme nós crescemos, pessoas, circunstâncias, nossas próprias preocupações, medos e expectativas formam nosso comportamento e imagem própria. Foi isso que aconteceu comigo. Aquela menininha nunca me deixou, só foi colocada de lado e dita para ficar quieta.

Me libertar das minhas velhas inseguranças significava finalmente abraçar o fato de que se eu sentia que eu era uma mulher de valor e beleza no meu caráter, o quê estava de errado em tentar mostrar isso externamente? Eu não estava sendo irracional, superficial ou sem espiritualidade por amar as coisas femininas. Que eu não precisava de uma razão prática do porque eu deveria usar esses lindos saltos, que não fosse de que eu os achava lindos. E que eu não tinha que pedir desculpas na frente de toda minha família masculina, porque eu queria assistir uma comédia romântica, mesmo se eu soubesse que a atuação seria ruim.

Mas uma coisa eu testemunhei em ambas, em mim e em tantas outras mulheres, é que embora nós possamos resistir e insistir que somos perfeitamente felizes com a maneira que somos, que “essa sou eu” e “Eu não sou muito feminina”, todas nós queremos parecer e se sentir melhor debaixo das barreiras que nós colocamos sobre nós mesmas. Se Deus nos criou dessa maneira, nós só nos machucamos quando ignoramos isso. Desde as meninas que gostam de ousar com roupas sugestivas e comportamento promíscuo até aquelas que, como eu, queriam se misturar em um cenário de aparência maçante e indefinível, elas todas tem as mesmas inseguranças internas. Todas querem ser amadas pelo o que ela é e vista de maneira adorável e feminina, por dentro e por fora.

Minhas amigas tem me encorajado e me ajudado a colocar para fora aquela parte que estava reprimida dentro de mim, e isso tem feito uma grande diferença. Amar quem você é um tremendo clichê, mas não tem outra maneira de se colocar. Sabendo como Deus lhe fez como mulher é tudo uma parte disso. Estar cercada por mulheres de Deus que te apoiam é a chave para tudo isso. Isso significa sugestões e criticas carinhosas – risos e o tipo de elogios que só as mulheres sabem dar.

Eu costumava olhar a volta de uma sala cheia de estranhos e desesperadamente começar a me comparar com as mulheres que eu via. Agora eu vejo olhares que me são familiares, nos olhos de mulheres que tem as mesmas inseguranças que um dia tive. Eu quero dizer a elas quão belas elas são e como elas poderiam se divertir muito mais apreciando a sua beleza, mas eu não me atrevo a dizer uma só palavra, porque eu sei quão doloroso esse assunto pode ser. Talvez elas irão ler isso e começarão a se ver através dos olhos de Deus. Eu queria ter aprendido isso há muito tempo atrás. Antes tarde do que nunca!

Evelyn Higginbotham

Cristiane Cardoso

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *