Feia, eu?

feia_euUm dia eu estava andando de trem e não pude deixar de notar uma jovem que estava sentada na minha frente. Seu cabelo, unhas e roupa eram pretos, e ela, branca como a neve.

A raiz do cabelo deixava transparecer que a cor natural dela era clara. Muitas pessoas também a observavam devido ao seu estilo rebelde de se vestir. Provavelmente, ser diferente é o que ela espera que pensem dela. Na minha opinião, ela é uma mulher jovem e bonita que apenas não sabe quão bela é nem o potencial que tem.

Mas não é assim que muitas mulheres se vêem? Elas se olham no espelho e desejam saber por que não são tão bonitas quanto as outras; rejeitam a própria aparência, o seu andar, a voz, a forma do corpo, o cabelo, a personalidade e outros atributos. Pensando assim, essas mulheres se vestem e se apresentam de um modo ‘descuidado’ ou um tanto ‘rebelde’.

Há algo realmente errado nesse comportamento. É possível ler sobre o assunto em livros e saber mais a respeito em palestras de autoajuda, mas a verdade é que apenas o conhecimento intelectual não muda nada! As pessoas sabem que têm que se amar para ter uma vida mais satisfatória. Querem alcançar isso, mas não conseguem. Esse proceder é devido à existência de um conflito interno e contínuo: a verdade e a mentira.

Por que que alguém permitiria que uma mentira sobrepujasse a verdade?

Pois é, isso não é tão difícil de acontecer, todos nós agimos assim!

Toda vez que acreditamos em um pensamento que diz que não somos suficientemente capazes, acreditamos em uma mentira. Se você indagar sobre os motivos desse pensamento, logo irá perceber que ele não faz sentido!

Por que não sou capaz? Porque não fiz meu trabalho tão bem quanto outra pessoa? Por que sou feia? Por causa dos meus pés? Por que sou inferior à minha amiga? Por causa da minha formação acadêmica? De jeito nenhum!

A verdade é que seremos inferiores, feias e incompetentes simplesmente se quisermos!

Não temos esses adjetivos por causa do que temos ou não, ou do que somos e não somos, mas porque assim deduzimos a respeito de nós mesmas.

Por que então acreditar em uma mentira?

Talvez, um dia, alguém próximo tenha dito algo que acabou manchando a sua autoimagem. Mas sobre o que ele ou ela disse, se pergunte: “Por quê? Que princípio serviu de base para o que foi dito? Essa idéia é um fato ou apenas uma palavra não refletida?” Provavelmente a segunda!

Se você sempre fizer uma objeção a essas idéias ruins sobre si, logo irá notar o quão tola e boba foi por acreditar nelas um dia. E então poderá se amar como merece.

Basta olhar ao seu redor e verá que não há ninguém como você! Ninguém em milhões e bilhões de pessoas! Sua estrutura física pode precisar de ser aperfeiçoada, mas essa necessidade existe apenas porque você não estava cuidando dela como deveria. Quando você começar a se interessar e a amar o seu físico o bastante para melhorá-lo, irá ver a verdadeira beleza do seu corpo!

As pessoas só conseguem cuidar do que gostam. Se você se amar, irá cuidar bem de si. Consequentemente irá cuidar bem de sua saúde, do seu corpo, da sua aparência e até mesmo da casa onde vive!

Quando você se olhar no espelho e gostar do que ver, as pessoas que a olharem também irão gostar do que verem.

Aprenda a se valorizar na palestra desta quinta-feira na Terapia do Amor.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *