Gêmeos diferentes

Continuação do post anterior…

Na verdade, na verdade, Esaú se achava o tal. Ele era forte, querido do pai, corajoso e primogênito, para que duvidar de seu futuro?

Não é assim que muitas jovens que nasceram na Igreja pensam? gemeos_cda

Eu sou jovem, bonita, tenho condições financeiras, meus pais são felizes… Sabe de uma coisa, eu posso ter isso e aquilo também. Eu posso viver a minha vida como eu bem quero, afinal, é a minha vida! Se alguém tem que aprender com os seus erros sou eu. Cansei de ficar dando uma de boazinha, eu quero mesmo é viver a vida que as outras jovens fora da Igreja têm.

E nessa rebeldia, lá vão elas, de cabeças erguidas, saem da casa dos pais sem a mínima consideração com todos os benefícios que teve por causa da fé de seus pais. Ficam brincando de igreja, um dia está sentada lá ao lado de sua mãe, outro dia, está sentada lá atrás, no último banco da igreja. Não entendem nada porque não querem entender. Se pudessem, colocariam uns earphones durante a reunião para ouvir suas músicas preferidas enquanto a reunião chata não termina.

Elas pensam que podem. Pensam que têm. Mas não sabem de nada. Fazem parte da maioria que cai no mesmo buraco de sempre e depois voltam como cachorro com o rabo entre as pernas.

Jacó era diferente. Ele sabia que não tinha o perfil que sua família precisava para ser liderada, e, nem por isso, desprezava seus pais. Ele dava valor ao que eles tinham… Ele sabia que o que eles possuiam havia vindo do alto… Ele precisava de Deus.

Continuação segunda-feira…

Cristiane Cardoso

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *