Mulher traumatizada

IMG_6383 O Renato é muito inteligente e espiritual Cris, você vai ter que correr atrás hein?

Essa frase marcou o início de uma série de inseguranças no meu casamento. Não que eu já não tivesse outras inseguranças da minha infância mas até aí, eu não me sentia inferior ao meu namorado. Ele era tudo que eu havia pedido a Deus e secretamente me orgulhava disso, mas a partir desse comentário, a dúvida entrou no meu coração, e secretamente eu comecei a achar que ele merecia alguém melhor que eu.

Os problemas dessa dúvida só se estabeleceram em minha vida com o tempo, depois do casamento, quando qualquer coisinha que acontecia me lembrava dela. Se o Renato comentasse qualquer coisa sobre uma outra mulher, eu já me sentia ameaçada por ela e a marcava. Toda vez que ele conversava com ela, por ela já está marcada em minha mente como “competição”, eu ficava com ciúmes.

O Renato, por sua vez, só conseguia enxergar o ciúme infundado e isso o deixava muito irritado, o que o distanciava de mim. Isso gerava ainda mais insegurança dentro de mim, pois aquela dúvida parecia estar fazendo sentido… eu não era o suficiente para ele.

IMG_6361Eu chorava e para piorar o meu drama, vivia ouvindo músicas românticas que me faziam ainda mais sentimental. Era de dar dó.

Hoje quando eu falo de como eu era antigamente é justamente isso que tenho, pena. Eu sofri e judiei tanto de mim mesma, e tudo por quê? Porque dei ouvidos à uma palavrinha, que como uma semente em terra fértil, deu muitos frutos que me fizeram mal – não só no meu casamento mas em toda minha vida.

E sabe o quê acontece quando você coleciona inseguranças? Você começa a viver um trauma. Tudo começa a “fazer sentido” e aquilo que você temia parece estar para acontecer. E o tempo só adiciona mais traumas…

O trauma tem esse agravante, ele gera outros traumas. Você começa a se comportar de acordo com aquelas inseguranças que carrega e o seu lema se baseia nelas…

Eu não sou tão inteligente e espiritual quanto ele, provavelmente eu também não sou tão interessante quanto aquela mulher, e com certeza eu não sou tão bonita quanto aquela outra mulher…

Isso me atrapalhou em formar amizades também, pois eu me sentia tão inferior às outras mulheres, que procurava fazer de tudo para agrada-las, o que gerava em mim expectativas altíssimas que se frustravam com o tempo. As tantas amigas que pensava ter não eram tão amigas assim. E lá eu ia para o meu cantinho do drama, ouvir minhas músicas tristes, e chorar.

Eu simplesmente não saía do lugar, por mais que eu quisesse fazer a diferença, eu não conseguia me ver fazendo-a. Eu acabava sempre no mesmo lugar, nos bastidores, auxiliando alguém a fazer a diferença.

Eventualmente eu venci os meus traumas e é por isso que hoje, luto diariamente para ajudar outras mulheres. Eu sei bem o que é querer ser uma pessoa diferente e não conseguir… o trauma nos aprisiona.

Hoje, quinta-feira, na Terapia do Amor, estaremos ajudando à todas as pessoas, sejam elas casadas, solteiras, divorciadas, viúvas, jovens ou maduras a vencerem seus traumas. Venha e traga alguém que você conhece que também sofre com esse veneno. Traga também um bandait ou curativo com o seu nome representando o seu trauma.

A Terapia do Amor acontece em todo Brasil e em muitos outros países, e ela segue o mesmo trabalho em todo lugar. O que você vai ouvir de mim e do Renato hoje, é o que você vai ouvir do palestrante nas outras localidades. Para descobrir o endereço mais perto de você, clique nesse link.

Eu e Renato estaremos aqui no Templo de Salomão, à 20h (e a Dani e o Bp Márcio às 10h e 15h) na Avenida Celso Garcia 605 no Brás, onde temos estacionamento amplo e créche para os seus filhos. Tudo é gratuito, só pedimos que chegue cedo já que as portas se fecham 5 minutos antes de começarmos a palestra.

Agora cinco perguntas a você que tem feito a Terapia do Amor:

  1. Qual tem sido a sua experiência vindo em nossas palestras?
  2. O que você mais gosta dessas palestras?
  3. Há quanto tempo que você tem participado?
  4. Onde?
  5. A sua participação tem lhe ajudado a super algum problema ou situação em sua vida amorosa, qual?

Obrigada por compartilhar com a gente!

Na fé!

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *