Não julgue pela aparência!

julgar_aparenciasVocê já entrou em uma loja e a vendedora lhe desmereceu por causa de sua aparência?

Já aconteceu de alguém olhar para você da cabeça aos pés, e só depois lhe cumprimentar?

Ou aquela situação em que você percebe que ninguém está lhe enxergando? E você espera, espera….

Pela lei “somos todos iguais”, mas na prática, não é bem assim. Começa pela própria justiça que dá privilégio a ladrões condenados “importantes”, e esquece na prisão fétida, o desconhecido.

Tratamentos desiguais acontecem a toda hora. A consideração, e muitas vezes até o respeito depende da posição que você ocupa, do transporte que você usa, dos amigos que você tem. Vemos isso tão acentuado hoje, no entanto já existia no passado. Vamos viajar a Jericó e conhecer alguém que sofreu isso na pele?

Era mais um precioso dia em que os discípulos desfrutariam da companhia do Senhor Jesus. A estrada era longa e empoeirada rumo a Jericó. A passos largos, seguiam junto com eles também uma multidão.

Na sombra de uma árvore, estava Bartimeu, um cego e mendigo. A história identifica seu pai como sendo Timeu, um homem de prestígio e rico. Porém, ao entrar em desacordo com Roma, perdeu a vida e todos os seus bens. Para Bartimeu, restaram as lembranças do passado distante e feliz. E agora, seu único bem, uma capa velha e suja. Estendia-a para esmolar e também se proteger do frio e do sol ( Mc 10. 46-52).

Por anos e anos, sentia-se ignorado, muitas vezes até invisível.

Ao ouvir o barulho da multidão, rapidamente perguntou o que estava acontecendo.

Responderam-lhe que era Jesus que vinha no caminho, e aí sua memória se despertou. Ele conhecia bem a genealogia e sabia que ali vinha o Messias, da raiz de Davi. O único capaz de lhe tirar da humilhação de viver nas ruas. O único capaz de fazê-lo ” voltar a ver “, esquecer o passado e construir uma família, sem as marcas da tragédia.

Começou a gritar pelo Senhor Jesus e implorar compaixão.

Dos mais próximos ao Senhor Jesus vieram apenas repreensões: Cala a boca! Não incomodes o Mestre! Quem você pensa que é?

Ainda bem que ele não se calou!

Que bom que o Senhor Jesus é tão diferente dos homens. Ele parou, e mandou chamá-lo.

Hum… imagina o semblante de seus impedidores? Receber essa atenção lhe fez tão bem, que imediatamente suas pernas saltaram do chão, sua capa voou para o alto. Em questão de segundos, ele era o foco no meio da multidão. Que poder tem uma palavra: para a vida ou para a morte; anima ou abate; faz sorrir ou faz chorar…

A luz, as cores, a beleza voltaram aos seus olhos pelas mãos dAquele que sempre considerou igual a todos. E imitá-Lo tem que ser nosso princípio de vida.

Quando li fiquei pensando: o que fizeram com o pobre cego, fariam aos religiosos “mais importantes” ? Repreenderiam Nicodemos ao procurar o Senhor Jesus tarde da noite, e escondido de todos? Tratar bem alguns e desconsiderar outros é típico de quem tem o espírito deste mundo.

Já vimos virar notícia uma celebridade que parou para conversar com uma pessoa simples, ou o presidente que cumprimentou o gari. Como se eles estivessem fazendo algo sobrenatural, que loucura isso!

Ser educado é o mínimo que se pode esperar de alguém. Entretanto, dos que são de Deus é esperado muito mais. Amar os inimigos; falar bem dos que falam mal de você; fazer o bem a quem lhe odeia e orar pelos que lhe maltratam e perseguem. ( Mt 5. 44 )

Você já esteve em uma situação em que se sentiu desprezada? Conhece pessoas que parece que tem o dom de humilhar outras pessoas?

Um beijo e até a próxima semana!

Colaborou: Núbia Siqueira

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *