Por que choramos?

06 Jul 2012 --- Young Girl Crying with Hands Covering Face --- Image by © Kristianne Riddle/Glasshouse Images/Glasshouse Images/Corbis

Impossível encontrar alguém que nunca chorou, não é mesmo? O choro é inerente à vida, aliás, ele marca nossa chegada a este mundo, pois essa é a primeira reação do bebê ao nascer.

Para a fisiologia, as lágrimas não passam de mais um tipo de fluido produzido pelo corpo humano com função de limpar e proteger os olhos. Mas essas gotinhas compostas de água, sais minerais, proteínas e gorduras, quando insistem em rolar, exprimem sentimento, carregam dores e comunicam o que as palavras já não conseguem falar.

Podemos chorar de alegria, mas isso raramente acontece. Na maioria das vezes a causa do nosso pranto são as dores físicas, emocionais, espirituais e morais.

Por exemplo, normalmente só damos valor à saúde, quando uma doença chega e subitamente rouba as forças e ameaça a nossa vida ou de quem amamos. Para elas existem os tratamentos e normalmente a cura ou um certo alívio.

Mas as dores da alma são muito mais atrozes e doem como se estivessem rasgando o nosso íntimo. Para elas não existe medicação ou consolo, uma vez que não há como abrandar humanamente as dores das decepções, das traições, dos complexos, da vergonha, da culpa, da baixa autoestima etc.

Choramos também pela dureza do coração dos familiares que amamos, mas que insistem em fazer escolhas erradas na vida. Choramos quando nossos amigos choram. Choramos pelas crianças indefesas vítimas da pedofilia e por tantas pessoas desrespeitadas. Choramos de revolta quando vemos nosso País encharcado no lodo da corrupção. Enfim, por todos os lugares que olhamos vemos aflições e motivos para chorar.

Sabemos que as emoções se opõem à fé, e dar autonomia para o coração é assumir uma conta alta de sofrimento. Então, por muitos anos indaguei por que fomos criados com essa “fraqueza”.

Como lidar com o nó preso na garganta e a dor no peito provocada pelas injustiças da vida?

A resposta veio ao observar a vida do Senhor Jesus neste mundo, já que até Ele chorou publicamente. As situações que nosso Salvador viveu Lhe tocaram tão profundamente que Ele não temeu ser julgado como fraco e chorou diante do túmulo do amigo Lázaro; chorou diante da cidade de Jerusalém e chorou no Getsêmani.

Suas lágrimas mostravam o quanto Ele era autêntico, sensível e compassivo! Não agia como um ser petrificado, distante e incapaz de se comover com a dor dos outros.

Se o Senhor Jesus chorou publicamente, imagine sozinho em Suas orações!

As lágrimas fazem parte desta vida, e a Bíblia está cheia delas. Mas chegará um dia em que não teremos mais nenhum motivo para chorar, porque, pela intervenção de Deus, nossos olhos serão enxutos. Isso se dará no céu, visto que lá não entrará dor, não terá despedidas, más notícias, acidentes, doenças, sepultamentos … Nada de tristeza, pois estaremos em festa com o nosso Noivo querido para sempre!

E se você é uma pessoa do tipo “chorona” e está imaginando que finalmente encontrou alguém que te compreende, convido a ir até o final, pois não é bem assim, rs!

Eu creio que chorar produz alívio para a alma, mas na maioria das vezes, não traz solução. Porém, quando as lágrimas são acompanhadas de fé e derramadas diante do Todo-Poderoso produzem recompensa. Ele não somente percebe ou Se comove, mas recolhe todas elas em Seu odre (Sl 56.8). Se Ele valoriza tanto assim uma simples lágrima, que dirá atitudes de fé e obediência?

Voltando ao testemunho do nosso Senhor, vemos que Suas lágrimas eram unidas a atitudes. Ele chorou a morte do amigo e o ressuscitou. Chorou por Jerusalém desperdiçar sua grande oportunidade, mas mesmo assim deu Sua vida por ela. Chorou com dificuldade de se separar do Pai no Getsêmani, contudo, Lhe obedeceu integralmente.

Viver a fé não nos coloca numa redoma de vidro, de maneira que ficamos intocáveis pelo sofrimento. Muito pelo contrário! Prepare-se para sorrir pelas vitórias, mas também esteja preparado para as lutas, e se as lágrimas insistirem em banhar seu rosto, não tem problema, mas faça isso somente diante de Deus!

Um beijo e até a próxima!

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *