Quem te faz ser (Parte 2)

Olá a todos os amigos internautas do Blog Vivi Freitas. Estamos de volta e gostaria de dar continuidade ao raciocínio de quarta-feira sobre o tema: “Quem te faz ser”.

“Abraão, vosso pai, alegrou-se por ver o meu dia, viu-o e regozijou-se. Perguntaram-lhe, pois, os judeus: Ainda não tens cinqüenta anos e viste Abraão? Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade eu vos digo: antes que Abraão existisse, EU SOU. Então, pegaram em pedras para atirarem nele; mas Jesus se ocultou e saiu do templo.” (Jo.8:56-59)

Que interessante! Às vezes procura afimrar-se entre os seus amigos, familiares, colegas, na escola ou na igreja, esquecendo-se de todos os exemplos que temos na Bíblia. Foca-se apenas no seu “mundo”. Veja como nós, seres humanos, temos a mentalidade pequena! Ouvimos, assistimos a séries acerca dos homens de Deus do passado, contemplamos, admiramos, mas quando nos deparamos com a realidade, em que vivemos uma situação de “rejeição”, ficamos tristes, abatidos ou inseguros… alimentando um monte de “besteiras” no coração.

Ao passo que o Senhor Jesus, Filho de Deus, que veio dar a vida por mim e por si, fazendo-Se à semelhança humana, viveu o que nós vivemos, para nos ensinar, achegando-Se a nós e, mesmo assim, Ele não foi aceite! Pegaram em pedras para Lhe atirar perante as Suas afirmações.

Outro exemplo: José, entre os seus irmãos, sendo o mais amado pelo pai, foi rejeitado. Teve uma vida difícil, como escravo, longe da sua família. E, depois, Deus honrou-o!

Falámos na quarta-feira sobre a glória de Deus e que quem nos honra é o Pai, mas muitos esperam impor essa honra através de comportamentos que os fazem ser apreciados. Querem agradar a “todo o mundo” para ganhar algo em troca, como a glória e apreciação. Não estão à procura da glória de Deus e, sequer, de servi-Lo!

Quando servimos a Deus dizemos a verdade, e até machucamos, como é o caso do Senhor Jesus em relação aos judeus. Ainda que eles nada entendessem, mesmo assim, Ele não postergou ou evitou falar a verdade; ainda que eles não cressem e O rejeitassem, Ele foi e sempre será o mesmo!


Ainda que rejeite a Deus, Ele sempre será, pois tem um espírito nobre! Deus não muda o Seu comportamento ou quem Ele é, por causa de você não O aceitar.

Quando a pessoa é Um com Deus, revela esforço, todos os dias, para se voltar para Ele. Podemos ter anos de Igreja, não importa quem foi ou tem sido, mas a quem prioriza: A Deus ou a si própria. Quer honrar a Deus ou ser honrada nesta terra?

Há essa diferença! Deus é que honra.

Quando José esteve como governador do Egipto, foi Deus que o fez. Quando uma pessoa é colocada numa determinada situação, foi Deus que o permitiu.

Jesus era o Filho de Deus mas não estava como rei, no palácio. Andava entre os pobres. Contudo, de maneira nenhuma deixava de ser com Deus, por causa de não ser aceite pelos demais. E é para isso que quero chamar a sua atenção: Talvez seja perseguida, em casa, pelos seus familiares; ou é a única cristã na sua escolar ou faculdade; a única que fala das coisas de Deus e vive a fé no meio dos seus amigos e, por vezes, pensa em mudar o seu jeito de ser para agradar a “gregos e troianos”! Mas quem a faz ser, quem a glorifica, exalta, e de Quem deve buscar a honra, é de Deus! Pois esta honra, sim, dá prazer!

Vou contar-vos um pouco de mim: Há muito tempo atrás, permaneci um periodo de três anos com duas crianças sobre as quais não obtive a guarda. Após ter renunciado, não porque sou “poderosa” – pois mesmo Deus tendo pedido, eu não queria dar – subi ao altar e renunciei, com lágrimas. Eu dei o meu futuro, pois doía não ter os filhos que eu planejava cuidar. Então, aconteceu que se passaram 14 anos, após aquela entrega, em que sequer pensava em pedir por eles.

No início deste ano, entrei, dizendo a Deus: “Eu tenho-Te servido desde que me deparei com a minha realidade, tenho consertado os meus erros, assumido a minha fé, de facto e de verdade. Tenho-me aproximado de Ti, tido experiências com o Senhor e servido com todas as forças.

O Senhor bem sabe que nunca pedi para mim mesma ou servi em troca de glória, de ser reconhecida ou procurar afirmação de terceiros. Fi-lo sem interesse algum, senão o de ganhar almas, de tirar as pessoas do fundo do poço e ter a vida que o Senhor me fez ter. Não tenho buscado a honra pessoal, mas tenho esta questão… e o Senhor está “em dívida comigo”! A situação das crianças, que um dia estiveram comigo, está deste jeito… Não têm nada com Deus, não há aproximação… Eu quero ver a Tua glória neste ano!”

Passaram 14 anos, e um dos filhos entrou em contacto e disse que queria voltar para ficar connosco. Já maior de idade, com 21 anos, voltou, incrédulo, endemoninhado, sem conhecer a Deus. De imediato, foi como se estivesse vivendo todo o passado, o primeiro mês, e existiram muitos conflitos internos.

Mas algo eu priorizei… Deus! E após um mês de estar com ele, entreguei-o, sem medo, crendo que Deus revelaria a Sua glória. Em um mês ele se batizou e, em três meses, foi batizado com o Espírito Santo.

Hoje, quer servir a Deus! É o filho dos meus sonhos, que eu nem imaginava.

Quando você dá a Deus e O prioriza, Ele não a deixa indiferente, mas dá-lhe o melhor! Eu tenho gozo e alegria. Não é um filho bastardo, mas um filho que dá muita alegria e muito especial! O Louis é um filho que veio de Deus e tenho a certeza que Deus fará, por intermédio dele, coisas maiores ainda!

Só queria compartilhar convosco este pedacinho, mas um dia talvez escreva esta história tão linda, onde Deus agiu e é glorificado!

Vemo-nos na segunda-feira. Até lá!

Viviane Freitas

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *