Três passos para se ver livre da pornografia

Numa época de combate a tantas pragas e epidemias nocivas à vida humana, temos uma que pouco é mencionada e combatida, mas que tem um alto poder destrutivo: a pornografia.

Ela tem se espalhado assustadoramente a passos largos pelo mundo, e embora seja uma prática maléfica, é protegida pelos conceitos de liberdade e privacidade.

A pornografia pode causar dependência e fazer o usuário descer aos mais baixos níveis morais, como fazem as drogas ilícitas.

Segundo pesquisas, cerca de 55% dos internautas no Brasil, entre homens e mulheres, crianças e adultos, casados e solteiros acessam páginas pornográficas pela internet. Dessa forma, a propaganda que sugere felicidade existente no amor livre, no sexo precoce, nas novas experiências eróticas e no adultério rende adeptos a cada dia.

A maioria das pessoas classifica a pornografia como algo inofensivo, afinal, que mal um simples vídeo de um minuto ou uma imagem sensual pode causar? Assim, sob esse argumento, muitos têm reservado parte do seu dia para acessar esses conteúdos, seja pelo celular, seja pelo computador. No entanto, embora não se deem conta, além de serem explorados por um mercado perverso e lucrativo, estão fazendo da mente uma lata de lixo.

Você sabia que o nosso cérebro trabalha para armazenar o máximo de informações que consumimos? Isso significa que tudo o que lemos, vemos, observamos ou sentimos são guardados em algum lugar da nossa mente. Por essa razão, todos possuem lembranças. Isto é, todas as experiências que passamos se transformam em arquivos salvos na nossa máquina cerebral.

Sendo assim, fica difícil imaginar que alguém não tenha seu desejo aflorado ao ver uma imagem de nudez. Além disso, é impossível acreditar que uma pessoa, ao ver cenas de sexo, não seja estimulada a repeti-las, inclusive, com outras pessoas dispostas a fazer sexo sem nenhum compromisso.

(Como deve ser difícil para os homens, tanto casados quanto solteiros, se manterem firmes no objetivo de manter intimidade somente dentro do casamento! Isso porque o número de mulheres de todas as idades que se oferece a eles cresce surpreendentemente a cada dia que passa.)

Mas, voltando ao nosso assunto principal, é preciso entender a importância de se ter limites em tudo na vida. Estamos acostumados em determinar limites para as crianças, mas são os adultos que mais têm necessidade deles. Mesmo que tenhamos toda a liberdade para escolher a programação da TV e da internet, os amigos e as formas de entretenimento, precisamos determinar a fronteira do que é saudável ou não para nós. E independentemente se existe alguém nos vigiando ou checando nossos e-mails e mensagens, nossa maneira de viver deve ser livre de tudo o que possa sujar nossa consciência.

E para você que está preso a isso e mantém segredos a “sete-chaves” sobre sua conduta, saiba que é possível se ver livre rapidamente.

Veja algumas dicas:

  • Decida que nunca mais entrará em conversas inapropriadas, seja por e-mail, seja por redes sociais e sites de relacionamento, seja pessoalmente;
  • Exclua de seus dispositivos eletrônicos vídeos e fotos; não clique em links nem pesquise ou faça downloads de material que tem apelo sexual;
  • Faça uma limpeza em suas redes sociais e evite amizades que estimulem esse tipo de assunto ou prática.

A disciplina aliada à fé é a ferramenta mais eficaz para arrebentar as correntes dessa prisão.

Para finalizar, lembro-me de uma recomendação bíblica que diz para ocuparmos nossa mente com tudo que é honesto, justo, puro, amável e de boa fama, que possui virtudes e que promove louvor (Fp 4.8).

Se não submetermos nossos pensamentos a esses critérios, nossa mente se tornará um campo de batalha e nós seremos vítimas fatais de nós mesmos.

Pode acontecer de você precisar da ajuda de alguém, então, não hesite em desabafar ou conversar com uma pessoa da sua confiança. Na igreja você encontra apoio para sair do isolamento e se erguer para um novo começo de vida. Se for preciso peça ajuda, mas não siga neste caminho!

Até a próxima semana!

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *