Verdadeiro Amor em Ruínas

Olá D.Cris!

Gostaria de parabeniza-la por esta história “Amor em Ruínas” que muito está me ajudando, me identifiquei muito com ela…

Tive uma infância e adolescência totalmente conturbada, muito parecida com a de Lynn. amor_ruina

Eu nasci num lar de muitas brigas e agressões, aos meus 8 anos, vi meus país se separarem. Minha mãe abriu mão de mim e meus 2 irmãos porque estava grávida de outro homem bem mais novo que ela.

Fui morar com minha avó e quando completei 11 anos, meu pai me levou para morar com ele e minha madrasta, uma mulher que me batia muito e meu pai nada fazia. Eu vivia cheia de marcas pelo corpo até que na escola, a professora indentificou a agressão, a denunciou e ela se separou do meu pai.

Meu pai me culpou muito pela separação dele mas depois de um tempo, se casou com uma moça 5 anos mais velha que eu, a qual também se aproveitou de mim…Eu tinha 13 anos e tinha que fazer tudo em casa, até a roupa dela quem lavava era eu.

Cresci com muita raiva dentro de mim. Ódio por minha mãe ter me largado tão nova.Foi quando eu conheci meu esposo, eu com 15 anos e ele 26. Foi nele que encontrei um carinho que nunca recebi, o apoio que nunca tive.

Pouco tempo depois engravidei, mas o medo de contar para o meu pai foi tão grande que não me cuidei e acabei perdendo o bebê. Mesmo assim, meu pai se revoltou e me mandou embora de casa.

Fui morar com meu marido, meu primeiro namorado, e eu era completamente apaixonada por ele e por isso, muito ciumenta e obsessiva. Nossas brigas eram constantes e eu morria de medo de perde-lo. Foi então que decidi que iria engravidar, talvez assim ele me desse mais atenção. Me enganei, ele só ficou com mais raiva de mim.

Nosso relacionamento era de brigas e agressões verbais. E com o meu filho então, não sabia nem dar carinho. E logo depois, me vi grávida novamente, quase enlouqueci quando soube, meu marido então, chegou a pedir que eu tirasse a criança. As brigas pioraram e quando o meu segundo filho nasceu, me vi com 2 crianças e sem saber dar amor e carinho para eles, também como daria algo que nunca recebi?

Quando o meu filho mais novo fez 1 ano e o outro 3, decidi que voltaria a estudar. Comecei a me cuidar, até porque via que os rapazes me olhavam diferente, queria chamar a atenção, e consegui. Me distanciei cada vez dos meus filhos, deixava eles com a minha sogra por muito tempo e comecei a trair meu marido. Até que um dia não aguentando mais ter que olhar para o meu marido e saber que estava o traindo, fui embora de casa.

Deixei minha casa, meu marido, meus filhos, e a minha família. Meus filhos estavam como eu fiquei, sem o amparo de sua mãe, por causa de uma traição…até que meu marido voltou para a Universal e começou a lutar por mim.

Eu voltei pra casa, mas ainda com o coração muito duro. Comecei a frequentar a igreja e o dia em que me libertei, passei a olhar o mundo de uma maneira mais alegre, sem raiva das pessoas, só que ainda não sabia dar amor aos meu filhos, que devido o desprezo, estavam se tornando crianças rebeldes.

Foi assim que conheci o grupo Godllywood. Fui atrás de informações, comecei a fazer os desafios ano passado, fui as reuniões dos 10 passos para a virada, e comecei a me tornar uma mãe melhor para os meus filhos. Já estou na fé que esse ano eu vou me formar, e ser uma mãe e esposa exemplar, mas em vista do que eu era, já mudei 90%!

Obrigada Dona Cris por ser tão usada por Deus, e nos tornar mulheres cada vez melhores! Eu lhe amo muito!

Beijos,

Cristina

Cristiane Cardoso

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *