Voltando ao Passado – 8ª parte

writing-1900x748Eu lembro-me ainda em Johannesburg, de ser chamada à atenção pela esposa que estava responsável, na reunião de esposas. E ela tinha toda a razão.

Mas ao terminar a reunião veio uma outra esposa, antiga de obra, inclusive que me conhecia quando eu ainda era solteira, dizendo: “Oh, Viviane… eu sei o quanto você foi injustiçada. Ela não deveria ter falado consigo dessa maneira. Eu quero dizer-lhe que a entendo e etc.”

Enquanto ela falava, estava em plena consciência que o que ela estava a dizer não era o certo. Ela queria “aliviar” o meu lado mas ao mesmo tempo estava a ser usada pelo diabo para ter maus olhos para com a esposa. Só sei que a ouvi e erradamente não disse nada.

Omiti em falar o que a minha fé dizia: que ela estava a tentar ser usada pelo diabo. No fundo, não me achava merecedora de dizer a uma esposa mais experiente do que eu, a verdade, e até mesmo ensinar o que é justo.

O que é justo?
É olhar com bons olhos.
É averiguar as minhas ações e reconhecer o que eu fiz de errado.

Graças a Deus que eu tinha essa consciência.

Graças a Deus pelas reuniões de obreiras em que eu havia participado.

Graças a Deus pelos ensinamentos que os meus pais me deram.

Graças a Deus pelas meditações que eu tinha nos momentos a sós com Deus.

Graças a Deus que quando participava nas reuniões, ia com necessidade de buscar. E continuava essa busca quando entrava no meu quarto.

Tudo isso deu-me o respaldo para o que viria a passar com pessoas que dentro da obra de Deus não estão em espírito, e às vezes nem nascidas de Deus são.

Aprendi que tinha de estar em alerta o tempo todo para guardar a minha fé e também a minha salvação.

Deus é maravilhoso. Ele não permite nada que esteja acima das nossas forças. E com isso fui aprendendo, não só a meditar, mas a trazer as meditações ou a vigilância para o meu dia a dia.

A mulher de Deus não é formada pelo conhecimento, mas quando ela medita e guarda para aplicar no dia a dia aquilo em que foi instruída. Enquanto não vive situações adversas à sua fé, não pode provar a quem respeita: Se a Deus ou ao seu egoísmo.

Depois de alguns anos, essa mesma esposa que disse que me entendia, já não faz parte da obra de Deus e nem na igreja está mais. Ela e o marido eram carnais.

Não há nada em oculto que não venha a ser revelado.

Todos aqueles que um dia fizeram parte da obra de Deus e se corromperam, foi porque aos poucos se foram voltando para o “Egito”. Não se importaram com as coisas pequeninas, que aparentemente são insignificantes aos nossos olhos, mas que na realidade encaminham de volta ao Egito.

Só para recapitular a memória, o povo de Israel saiu do Egito, mas nenhum deles entrou na Terra Prometida, excepto Josué e Calebe.

Porquê, hein?

Porque o povo ficava a olhar para o que o Egito oferecia, em vez de olhar para Deus. Ficavam a contemplar as facilidades e não atentavam para quem eles eram: escravos. Eles não atentaram para as maravilhas que Deus lhes revelou. Temiam mais pelo suprimento das suas necessidades, do que criam naquilo que Deus tinha para eles. Em outras palavras, eles duvidavam do suprimento de Deus.

Através dessa experiência dentro da obra de Deus, eu vi que realmente eu tinha que fazer a minha escolha quanto às minhas amizades, pois nem todos os que dizem ser de Deus, são realmente de Deus.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *