Voltando ao Passado – 9ª Parte

África do Sul foi um país onde eu estive apenas 1 ano e meio. Foi um país que começou a mostrar-me outros erros, concernentes ao que estava no interior, para além dos ciúmes que havia encontrado em Portugal. KID

Estive em Johannesburg 2 vezes e em Cape Town também 2 vezes, dentro deste 1 ano e meio no país.

Logo no início da minha chegada a África do Sul, aconteceu umas das coisas mais difíceis de lidar, da qual surgiram raízes profundas. Através de um comentário que uma esposa fez, dizendo: “Poxa, a sua mãe gosta mais da sua irmã do que você. Ela é tão mais chegada à sua irmã!” O comentário era algo assim, relacionado comigo e com a minha irmã.

Ao escutar aquelas palavras, parece que deram um tiro no meu coração.

Fiquei desesperadamente triste. As minhas feições mudaram e fui para o quarto chorar. Por mais que eu chorasse, nada acontecia para resolver aquele buraco dentro de mim. As palavras daquela esposa soaram tão verdadeiras, porque na realidade quando os meus olhos observavam ao redor, eu via a cena de alegria da minha mãe; a forma como ela falava com a Cris, encaixava-se mais do que comigo.

Nossa, como essas palavras criaram raízes! Nunca tinha ouvido ninguém na minha vida pronunciar algo assim. Eu cri nas palavras daquela esposa. Aquelas palavras abriram os meus olhos para o mal.

Naquela noite o Júlio pergunta-me o que se passava comigo, que estava tão triste. Eu disse o que a esposa tinha dito. E ele disse que eu deveria tirar aquela dúvida com os meus pais.

E realmente fui à noite ao quarto deles, bati à porta e entrei para desabafar. Ao entrar, estava em prantos. E eles muito preocupados perguntaram: “O que houve?”

Quando eles me perguntaram eu disse: “Pai, mãe, vocês amam mais a Cris do que a mim?”

Eles estranharam aquela questão e a forma como estava decidida para desabafar e falar.

E responderam: “Não, minha filha. Amamos de forma igual.” E eu disse: “É que fulana disse que a mamãe ama mais a Cris do que a mim!”

Imediatamente, o meu pai furioso, pergunta: Quem lhe disse isso? Fale!”

Eu disse quem era. E ele repreendeu também aquele pensamento sujo que veio à minha cabeça, que era maldoso.

Incrível, nunca tinha visto daquela forma, mas ao ouvir passei a acreditar e notar que realmente tudo parecia testificar com as palavras dela.

No outro dia, o meu pai repreendeu aquela esposa.

E de fato, a minha mãe e o meu pai estavam todos felizes com a chegada da Cris. Era realmente a primeira vez que toda a família estava reunida depois das filhas casarem.

Os meus pais já tinham morado comigo. Mas era a primeira vez que a Cris morava connosco.

Era normal, depois de meses, haver uma certa comemoração e expressões para com ela. A saudade era muita.

E depois passou, aquela impressão que tinha.

O diabo é esperto. Ele sabe que tudo depende de como vamos olhar a situação. Às vezes não olhamos, mas ele usa pessoas para que possam trazer palavras de morte, justamente para termos maus olhos e nos separar da Luz.

“São os olhos a lâmpada do corpo. Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso; se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas. Portanto, caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão!”

(Mt 6:22,23)

E diante de uma situação como esta, fica definido a quem vou priorizar: A Palavra de Deus ou as palavras da esposa.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

1 comentário

Carla Araujo Responder 1 Setembro, 2015 às 18:18

Este post me fez lembrar quando eu dei ouvidos aos dardos do diabo. Colocando maus pensamentos dentro de mim. Me fez recordar de coisas que me aconteceram na infância, me fazendo sentir culpada e de que as pessoas não gostavam de mim. Mas até o dia em que eu entendi que estes pensamentos vinham do próprio diabo. Como disse a D. Viviane, criou raízes dento de mim. Mas graças a Deus estou liberta destes pensamentos. Beijinhos 🙂