A bondade de um “certo samaritano”

Quando questionado sobre o que deveria ser feito para conquistar a vida eterna, o Senhor Jesus respondeu com uma parábola, aparentemente simples, mas carregada de simbolismo…

Logo pela manhã, às 7h30, tem lugar o encontro que reúne os cristãos que demonstram, através de sacrifícios como acordar mais cedo ou prescindir de mais tempo na cama, que Deus, está, indiscutivelmente, em primeiro lugar nas suas vidas.

Depois de orações, o orador, Bp. Júlio Freitas, começou por dar a mensagem reservada para aquela manhã: A PARÁBOLA DO BOM SAMARITANO.

A pergunta começou, aparentemente, “de forma inocente”, mas, como se costuma dizer já trazia “água no bico”. “Mestre, que farei para herdar a vida eterna?”, perguntou um certo homem, intérprete da Lei ao Senhor Jesus. A sua intenção era de O apanhar em falso, porém, o que ele recebeu foi uma lição de vida, baseado num dos maiores ensinamentos do Evangelismo Cristão.

O cenário estava montado, com as personagens intervenientes nesta história: um certo homem… um grupo de salteadores… um sacerdote… um levita… e um certo samaritano. Temos os maus da fita, a vítima e três possíveis heróis. Todavia, nesta parábola contada pelo Senhor Jesus, o herói foi definido pelas próprias escolhas dos intervenientes, tudo para exemplificar uma única coisa: quem é o nosso próximo e o amor que devemos demonstrar pelo mesmo.

“Tal como o intérprete da Lei, muitos conhecem a Verdade, porém, não a praticam. E tal como as pessoas que são orgulhosas, tentou justificar-se e não procurou executar, que é o que fazem as pessoas humildes.” – disse o Bispo, explicando que esta parábola reflete a importância de evangelizarmos, no caso, de convidarmos as pessoas a comparecerem no Dia T, o dia 27 de outubro, para que as suas vidas sofram a transformação que tanto necessitam.

DIA T – 27 de outubro, às 9h30 e às 15h

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *