De que adianta?

Se pensarmos na vida que temos vivido, com certeza chegaremos a algumas conclusões. Porém, uma das mais tristes é apercebermo-nos de que não estamos a usufruir daquilo por que tanto sacrificámos

A Bíblia afirma que foi enquanto exercia as suas funções sacerdotais que a situação de Zacarias foi transformada. Ou seja, isso mostra que não basta ter os conhecimentos. Por exemplo, de que serve a pessoa ter um curso de Direito e não exercer? De que adianta a pessoa estar formada em Medicina e não exercer? De que adianta a pessoa estar casada e não viver com o seu marido ou esposa? De que adianta a pessoa estar na Igreja, saber quais são os seus direitos e não usufruir dos seus benefícios? Adiantará de alguma coisa?

Não, pelo contrário, acabará até por ser uma tortura psicológica, porque a pessoa fez por onde, mas não está a usufruir do fruto do seu sacrifício, daquilo que ela lutou para conquistar. No caso de Zacarias, ele obteve a resposta enquanto exercia as suas funções sacerdotais perante Deus, ou seja, você e eu temos que exercer as nossas funções sacerdotais.

Nós temos que orar, sacrificar, dizimar, perdoar, evangelizar, ofertar, buscar, clamar, agradecer… ou seja, se não exercermos as nossas ‘funções sacerdotais’ não veremos as nossas necessidades atendidas” – revelou o bispo Júlio Freitas na mais recente reunião realizada às 7h30, na Sede Internacional da Europa do CdA.

No âmbito da passagem de todos, em favor da vida financeira, pelo Santuário da Resposta, o Bispo continuou a mensagem, explicando a todos os presentes a importância de aproveitarmos as oportunidades, exercitando a nossa fé nesse processo, pois a fé sem obras é morta!

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *