Notícia

Portugal a crescer

crescimento

A economia portuguesa enfrenta desde 2010 umas das piores crises económicas e financeiras da sua longa História. Muitos têm sido os cortes na despesa e nos direitos das pessoas, assim como grande também tem sido a subida dos impostos.

Todo este ajustamento levou a que a queda do consumo interno fosse maior do que o esperado, pelo menos para o Governo. Penso, no entanto, que esta foi a única entidade que esperava uma menor queda do consumo interno, pois todos os partidos da oposição e os analistas económicos previam que esta iria ser bastante elevada.

Por outro lado, durante este período, as exportações cresceram, o que levou a que a economia portuguesa começasse a dar sinais de retoma, ainda que muito ligeiros. Facto que para o Governo representa que estamos no bom caminho, já para os demais é visto como uma recuperação muito ligeira e não sustentável.

Analisando de uma forma mais detalhada esta ligeira recuperação, existem duas empresas que muito contribuíram para que as exportações portuguesas pudessem ter um bom desempenho, a saber: a Autoeuropa e a refinaria da GALP de Sines.

Existe uma indústria que está a crescer, o turismo, visto o nosso país ter como mais valia a diversidade de ofertas, praia, campo e monumentos históricos. Ora aqui está uma das possíveis soluções para alavancar a economia portuguesa, bastando uma forte e concreta aposta. Afinal, Portugal tem um clima bastante simpático, quando comparado com os países do Norte da Europa.

A prova de que esta é uma oportunidade é que na última década o turismo cresceu mais de dois milhões e para isso muito contribuíram as melhorias na oferta apresentadas pelas principais cidades portuguesas, como Lisboa e Porto. Mas ainda existem muitas regiões do interior que estão por descobrir, as quais podem representar uma forte aposta tanto para o turismo estrangeiro como nacional.

Deverá ainda ser melhorada a oferta turística nas regiões que tradicionalmente já são fortes, como o Algarve, a Madeira e os Açores, para que aí possa existir cada vez mais, melhor e maior oferta turística.

João Filipe Diretor- Folha de Portugal

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

1 comentário

João Marques (Portugal) Responder 27 Junho, 2014 às 9:36

“Como leão rugidor, e urso faminto, assim é o ímpio que domina sobre um povo pobre.” Provérbios 28 : 15