Esteja alerta!

foto 1Por vezes, com tanta coisa que nos rodeia acabamos por não ver o que é realmente importante, o Verdadeiro Tesouro.

No decorrer da visita missionária do bispo Carlos Rocha e do pastor Marcos Boeno ao Centro de Ajuda da Costa da Caparica, muitas das pessoas presentes não só receberam a cura, através da sua Fé, mas também puderam escutar uma mensagem da Fé inteligente em que foram destacadas duas palavras: “oculto” e “escondeu”.
O bispo Carlos salientou que o tesouro não estava escondido, mas à vista de todos e, ao mesmo tempo, oculto aos olhos de todos. “Veja, num campo o que tem? Pode ter muitas árvores de frutos, plantas, flores… tantas coisas que chamam a atenção dos nossos olhos e que acabam por nos deslumbrar. Quando isso acontece, algo acaba por passar desapercebido, está ali, mas é como se não estivesse. Já deve ter acontecido consigo passar por alguém, saber que ali está alguém, mas ir tão distraído que não se dá conta de quem é. Imagine 50 pessoas passarem por uma garrafa de água mas ninguém tem sede, por acaso, a garrafa vai chamar à atenção de alguma delas? Não! Apenas se alguém tiver sede é que, então, se vai dar conta de que ali está a garrafa, de que sempre esteve ali”, explicou o orador.

O maior tesouro
“Bem, imagine o campo como sendo o mundo, onde tantas coisas chamam a atenção das pessoas, levam os seus olhos a deslumbrarem-se com tantas coisas menos com o mais importante, que é a Salvação, e onde o Espírito Santo passa desapercebido”, elaborou o bispo.

“O campo não é só o mundo, mas também é dentro da Igreja, pois muitos têm posto os olhos apenas nas muitas necessidades que têm e não na Salvação, mesmo ouvindo e vendo os frutos nos outros. O Espírito Santo está diante de todos e é para todos, mas nem todos o veem, Ele está ‘oculto’ para os que têm os olhos postos no ‘ouro’, nas necessidades”, continuou.

“O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece…”

João 14.17

“Afinal, quem são os que o veem? Os que estão a olhar para o Altar, para a Salvação. Esses acham-No, não O querem perder e ainda acabam por ficar com o ‘campo’, ou seja, todas as suas necessidades atendidas”, rematou
o orador.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *