Notícia

10 maneiras de cometer o suicídio espiritual

Internacional, Notícias |

ThinkstockPhotosO primeiro relatório sobre prevenção ao suicídio da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgado no início de setembro de 2015, mostrou que aproximadamente 800 mil pessoas cometem suicídio por ano no mundo.

Isso representa uma morte a cada 40 segundos. Cerca de 75% dos casos ocorrem em países com rendas entre média e baixa.

Envenenamento, enforcamento e armas de fogo estão entre os métodos mais comuns de suicídio no mundo. Países como a Austrália, Canadá, Japão, Nova Zelândia e Estados Unidos, entre outros, acreditam que limitar o acesso a esses meios podem ajudar a evitar o suicídio.

Realmente restringir o acesso das pessoas a objetos que as levem a cumprir a suas metas poderia diminuir os números de mortes, mas, infelizmente, os meios para que uma pessoa cometa o suicídio são diversos, e uma pessoa convicta da morte acabaria encontrando outra forma para tirar a própria vida.

A mesma coisa acontece no campo espiritual. Quando algumas atitudes deixam de ser praticadas, o caminho para a morte espiritual é fatal.

Veja abaixo 10 sinais de que você tem agido assim:

Parar de ler a Bíblia: As pessoas que deixam de ler a Bíblia, automaticamente deixam de ouvir a voz de Deus. Dessa forma, ficam sem saber qual é a Sua vontade, pois a Bíblia é a fonte da vida. É nela que está expressa a vontade de Deus para nós.

Parar de orar: A oração é uma arma poderosa contra as coisas invisíveis que nos cercam o tempo todo, então, deixar de praticá-la é muito prejudicial.

Parar de adorar: A pessoa facilmente se distrai, seus pensamentos ficam focados em outros assuntos e ela acaba ficando vazia. Ela ora, louva, adora, mas é como se não estivesse ali. Seus pensamentos são outros e a adoração a Deus deixa de ser pura.

Ficar longe da igreja: Existem pessoas que se desculpam com a falta de tempo, cansaço, que Deus sabe do que elas precisam, deixando assim de expressar a sua dependência nEle. Quando nos distanciamos de Deus e de Sua casa, nos aproximamos das coisas que nos levam para o mau caminho.

Ficar longe dos irmãos da fé: Muitos se preocupam mais com o que as pessoas pensam e esperam a seu respeito do que com o que Deus pensa e espera deles. Por isso, evite ficar longe dos que professam a mesma fé que você e se juntar aos que servem ao mal. Isso pode lhe levar aos caminhos do sofrimento.

Desonrar os seus líderes: Quando a pessoa se rebela, na verdade ela quer impor a sua vontade. Por isso, mente, guarda mágoa, tem inveja, julga, desobedece, rebela-se. É preciso ter temor e respeito por aqueles que ensinam a Verdade.

Fazer da diversão a sua prioridade: Passear e se divertir é algo natural e que deve ser feito, mas priorizar o lazer e desprezar a Deus é algo que deve ser evitado.

Fugir dos confrontos: Os problemas da vida são inevitáveis, mas sempre achamos soluções e respostas rápidas para eles. Porém, quando a batalha se dá no campo espiritual, vale lembrar que o melhor a fazer é encontrar o equilíbrio espiritual entre a fé e a prática da Palavra de Deus. E se você não encontra esse equilíbrio por falta de comunhão com Deus, certamente não terá êxito na sua batalha.

Negar perdão: A pessoa que nega perdão traz para si um peso muito grande, pois a mágoa e a amargura trazem a tristeza, depressão e, na maioria das vezes, doenças sérias. Por isso, não é bom carregar esse sentimento, que não vai lhe trazer nenhum benefício e ainda pode refletir naqueles que estão à sua volta.

Falar dos outros: A fofoca é um veneno que entra pelos ouvidos e olhos. Você pode achá-la inofensiva, mas é um mal que a própria Bíblia condena. E se realmente quer falar de alguém, fale do Senhor Jesus.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

1 comentário

Alexsandra da Silva Responder 14 Dezembro, 2015 às 14:36

As 3 primeiras e acho a mais importante, estava deixando de fazer, orar, lêr a biblía e adorar, claro que com isso vem o desanimo e diante das dificuldades ficamos fracas.