Notícia

3 vozes vão bater à sua porta logo após o sacrifício

Internacional |

494730678-690x460A princípio elas tentam convencer a pessoa de que sacrificar não é o melhor caminho. E, em alguns casos, até obtêm sucesso; de fato acabam conseguindo desviar o foco da pessoa do Altar.

Entretanto, há aqueles que nada nem ninguém é capaz de demover de fazer aquilo que a fé lhes pediu. E, movidos pela certeza de que Deus irá honrá-los, eles vão até o fim e sacrificam o seu tudo no Altar.

Mas não se iluda, pois o mal jamais se dará por vencido e certamente irá criar novas estratégias para abalar a sua confiança em Deus e fazê-lo desviar os seus olhos do Altar.

Por isso é importante que você conheça e esteja atento a 3 vozes usadas estrategicamente pelo mal para impedir que você tome posse da bênção que já é sua, mediante a sua total entrega no Altar. Saiba quais são:

A voz do medo – Ela chega sorrateiramente, com aquele frio na barriga, e diz: “Você colocou tudo no Altar, e agora?” Você deve, imediatamente, rebater essa voz, dizendo: “Agora a minha vida está nas mãos de Deus; agora eu terei testemunho para contar no altar; agora eu verei as maravilhas de Deus na minha vida.”

A voz da dúvida – Essa é a mais perigosa. Você foi guiado até o Altar pela voz da fé, a voz da certeza, e, por isso, travou uma luta terrível para cumprir o seu voto, mas cumpriu. Até aquele instante não havia espaço para outra voz, não havia outra opção.

Entretanto, o mal fará de tudo para semear no coração da pessoa uma outra opção: “E se não der certo?”; “E se, por via das dúvidas, não acontecer?”

Não se deixe enganar, pois não existe outra opção quando se está na fé. Não existe a opção “dar errado” quando os nossos olhos estão no Altar. Portanto, o que você deve fazer toda vez que esse pensamento vier à sua mente é repreender imediatamente. Faça calar essa voz maldita que tenta enfraquecer a sua fé.

A voz da ansiedade – A ansiedade é um inimigo terrível da fé. É ela que faz você acordar no dia seguinte dizendo: “Será que vai ser hoje?” E no outro dia, e no outro, e assim por diante. É ela que faz você querer dar “uma forcinha” ao Espírito Santo, quando Ele não precisa dela.

A ansiedade é o contrário da confiança. Ela traz inquietação, enquanto a confiança traz paz de espírito. A pessoa fica tranquila porque sabe que vai dar certo. Ela sabe que Deus está cuidando dela.

Josafá ou Pedro?

Josafá estava prestes a enfrentar um exército enorme (leia na Bíblia 2 Crônicas 20). Quando ele viu o tamanho do exército teve medo, mas não se acovardou. Em vez disso se pôs a buscar ao Senhor:

“Ah! nosso Deus, porventura não os julgarás? Porque em nós não há força perante esta grande multidão que vem contra nós, e não sabemos o que faremos; porém os nossos olhos estão postos em Ti.”

2 Crônicas 20.12

O problema não é você sentir medo, mas como você reage diante dele.

Diante da confiança no Todo-Poderoso demonstrada por Josafá, a resposta de Deus foi um refrigério para a alma do rei

“Não temais, nem vos assusteis por causa desta grande multidão; pois a peleja não é vossa, mas de Deus.”

2 Crônicas 20.15

Ao contrário de Josafá, o apóstolo Pedro não soube combater o medo. Num primeiro momento ele até demonstrou fé ao caminhar sobre as águas, mas tão logo percebeu a força do vento, sentiu medo e começou a afundar. Ou seja, ele tirou os olhos do Senhor Jesus para olhar para as circunstâncias e deixou que o medo o dominasse, por isso, afundou. Ele teve fé, mas lhe faltou o mais importante: a confiança.

Qual a diferença entre eles?

Enquanto um, ao sentir medo, colocou os olhos em Deus, o outro tirou os olhos dEle.

E você, onde os seus olhos estão postos? A qualquer momento uma dessas vozes pode bater à porta do seu coração, cabe a você combatê-la e manter a sua confiança na voz do Altar.

(*) Texto baseado em uma pregação do bispo Edson Costa

Fonte: Universal.org

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *