Notícia

50 tons de perversão

Internacional, Notícias |

50tonsok.690x460Desde o Valentine’s Day (14 de fevereiro) – Dia dos Namorados nos Estados Unidos e em outros países –, um dos assuntos mais comentados é o lançamento do filme “50 tons de cinza”, inspirado no primeiro livro da trilogia de mesmo nome de E. L. James. O best-seller erótico ganhou leitores no mundo inteiro. Foram mais de 100 milhões de cópias vendidas, sendo traduzidas para mais de 50 idiomas.

Assim como os livros, que teriam mudado o comportamento de muitas mulheres – para pior –, o filme, lançado em quase 60 países, vem causando polêmica. Um dos cartazes de lançamento, por exemplo, convida o espectador a “perder o controle” (veja foto acima). Na China, Malásia, Indonésia e Quênia, o romance apimentado está vetado nas telas dos cinemas.

No enredo, o relacionamento entre um jovem milionário e uma universitária é baseado inteiramente na fantasia sexual. A jovem, que até então era virgem, se torna um objeto de desejo e depravação nas mãos do empresário bem-sucedido. A obsessão do protagonista é fruto de uma infância traumática de abuso e de ter crescido vendo a mãe no mundo da prostituição. Na busca incessante pelo prazer absoluto, o casal usa brinquedos eróticos, como algemas e chicotes, inspirados em ritos sadomasoquistas.

Jogos eróticos

Fora das telas, o longa tem influenciado casais que buscam “apimentar” a relação. Desde o lançamento do livro, o corpo de bombeiros de Londres, capital inglesa, percebeu o aumento de incidentes sexuais. A corporação até criou uma campanha nas redes sociais, intitulada “50 tons de vermelho” (no orginal, #FiftyShadesOfRed), pedindo que as pessoas tenham bom senso e alertando sobre o uso de jogos sexuais. Em 2013 e 2014, os bombeiros londrinos registraram mais de 470 ocorrências envolvendo pessoas presas ou enroscadas em objetos, entre eles algemas e anéis de dedo. Nos últimos 3 anos, o prejuízo das operações de salvamento em Londres teria ultrapassado a marca de 400 mil libras (R$ 1,7 milhão) por conta dessas ocorrências.

Segundo o autor do best-seller “Casamento blindado”, Renato Cardoso, o filme dita doutrinas e tem iludido solteiros e casados com a distorção do sexo. Leia aqui quais são esses “preceitos” citados no blog do autor pela americana Evelyn Higginbotham.

Durante o final de semana de estreia, o longa-metragem faturou em torno de US$ 94 milhões (cerca de R$ 266 milhões) só nos Estados Unidos, ultrapassando a estreia do filme “A Paixão de Cristo”, de 2004 (US$ 83,8 milhões).

O boicote

jonessss.690x460No entanto, o filme de grande audiência também recebeu críticas. A atleta norte-americana Lolo Jones, de 31 anos, por exemplo, escreveu em seu perfil no Twitter: “Engraçado como as pessoas acham que não há nada de errado com o ‘50 tons de cinza’. Deus não criou o sexo para este propósito. Assistam a outro filme” (post original na foto ao lado).

A deputada federal Joy Smith, da província de Manitoba, no Canadá, está pedindo aos canadenses que boicotem o filme e doem o dinheiro dos tickets para ajudar mulheres que vivem em abrigos, vítimas de abuso sexual. Joy, que tem dedicado a sua carreira às vítimas de tráfico humano, alega que o filme apoia a humilhação, a degradação e o abuso físico e emocional da mulher. Para ela, as cenas que insinuam escravidão sexual e sadomasoquismo glamourizam a violência doméstica. “O filme tenta fazer com que isso seja um tipo de coisa normal”, disse a deputada.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *