Notícia

A Igreja do Monstro do Espaguete Voador? Sim, ela existe

Internacional |

igrejaDoMonstro_espagueteAgora já é possível se casar na Igreja do Monstro do Espaguete Voador. Parece mentira?

Não, não é. Na Nova Zelândia, membros da instituição só precisam colocar um escorredor de macarrão na cabeça ou uma roupa de pirata e fazer os seus votos. O casamento será válido como se tivesse sido realizado em qualquer outra Igreja.

O Governo neozelandês deu o seu aval para que as reuniões e uniões realizadas na Igreja do Monstro do Espaguete Voador sejam consideradas legais, e explicou: “Nenhum juízo de valor é feito sobre a validade dessas crenças ou convicções.”

Os adeptos da Igreja são denominados pastafaris (um trocadilho entre as expressões pasta e rastafári). O grupo surgiu em 2005, como forma de protesto contra o ensino do Criacionismo nas escolas do Kansas (Estados Unidos). Um dos conceitos dos pastafaris é que o “paraíso” tem um vulcão de cerveja e mulheres fazendo strip-tease.

russo_igrejaEspagueteEmbora alguns admitam se tratar de uma sátira, outros levam a sério o que é transmitido na Igreja. O russo Andrei Firin, por exemplo, brigou na Justiça para que pudesse usar um escorredor de macarrão na cabeça em fotos de seus documentos. O austríaco Niko Alm também conseguiu esse direito (imagem ao lado). De acordo com a Lei, ninguém pode usar acessórios em fotos oficiais, a menos que sejam acessórios religiosos, como o quipá (para os judeus), ou, no caso, o escorredor de macarrão.

O problema oculto

De acordo com o que o próprio site oficial da Igreja do Monstro do Espaguete Voador indica, existem pessoas que acreditam no que é ensinado e outras que usam essa religião de maneira irônica.

E o que acontece com quem realmente acredita no que é pregado pelos pastafaris?

“É isso o que o apego à religiosidade faz: tira a visão espiritual das pessoas. Justamente aquilo que as faria pensar acaba sendo retirado pela religião”, alerta o bispo Edir Macedo em seu blog.

Acreditar apenas naquilo em que se quer acreditar, sem raciocinar a respeito, pode acarretar muitos males.

Já aqueles que usam o monstro do espaguete como ironia acreditam que provocam quem crê em Deus, ao afirmar que, assim como esses, eles acreditam em quem nunca viram e que promete um futuro melhor.

“Fitar os olhos no invisível não é uma tarefa fácil. Como olhar o que não se vê? Só há uma maneira: pelos olhos da fé”, afirma o palestrante Renato Cardoso. “Os olhos da fé são a confiança em Deus. Você já disse alguma vez ‘eu confio em fulano de olhos fechados’? Essa expressão indica a integridade e a dependabilidade de tal pessoa, alguém em quem você pode confiar, por isso não precisa nem verificar com os olhos físicos, porque os olhos da sua confiança já enxergam o que você espera dela.”

Deus apresenta-Se a todos que se dispõem a enxergá-Lo. Caso você, por algum motivo, ainda não O tenha visto ou deixou de vê-Lo em algum momento, visite hoje mesmo o Centro de Ajuda mais próximo da sua casaCentro de Ajuda mais próximo da sua casa e converse com o pastor ou o bispo responsável. Ele lhe ajudará a abrir os olhos da fé, que lhe farão enxergar o Verdadeiro e Único Deus.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *