Notícia

Ação que fechou templos da Universal no Rio de Janeiro é considerada truculenta e ilegal

Internacional |

caxiasVeja como fiscais do TRE agiram e o que especialistas dizem

A ação dos fiscais do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ), que, por ordem judicial, fecharam templos da Universal no estado, foi considerada truculenta e constrangedora por quem estava nas igrejas que foram lacradas.

Segundo especialistas, houve excesso e abuso de poder por parte dos agentes, e a ação é inconstitucional.

A Universal busca os meios legais para analisar os excessos e tomar as medidas cabíveis.

Veja na reportagem abaixo como foram as ações dos fiscais e entenda o que aconteceu:

Nota oficial da Universal, divulgada no sábado à noite:

A Igreja Universal do Reino de Deus protesta contra a forma arbitrária e seletiva como vem sendo tratada à véspera das Eleições 2014. Lamenta, ainda, que o procedimento de alguns oficiais do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) desrespeite as próprias leis eleitorais.

Também tem fortes suspeitas de uma orquestração com o intuito de influenciar as eleições deste domingo (26/10), envolvendo veículos de comunicação social em parceria ilegal com agentes do PMDB e da própria Justiça Eleitoral. Ingressaremos com os recursos cabíveis para exonerar a Igreja, esclarecer os fatos ocorridos e processar todos os envolvidos em quaisquer ações ilícitas.

A Universal está ciente das estritas exigências da Justiça Eleitoral e segue cumprindo-as rigorosamente. Temos confiança no Poder Judiciário, que tudo será esclarecido e a Universal isentada de qualquer culpa ou punição.

UNIcom – Departamento de Comunicação Social e de Relações Institucionais da Universal

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *