Notícia

Brasileiro que nasceu com a cabeça virada para trás lança livro sobre os seus desafios

Internacional |
brasileiro-cabeca-virada-para-tras

Quem viu Claudio Vieira de Oliveira 40 anos atrás provavelmente sentiu-se comovido com a imagem do bebé de corpo franzino, com a cabeça virada para trás, os bracinhos colados no peito e as pernas atrofiadas, encarando um mundo cheio de preconceitos e desafios.

Porém, o que era para ser uma sentença tornou-se uma obra de arte, que resume o olhar de Claudio diante de uma vida tão incerta. “O Mundo está ao Contrário” (Belaletra Editora 2016) é o título do primeiro livro autobiográfico do baiano, que mesmo tendo uma doença rara não se viu impedido de completar o ensino médio e fazer faculdade de contabilidade.

Natural de Monte Santo, no sertão da Bahia, o escritor nasceu com uma anomalia chamada Artrogripose Múltipla Congênita (AMC). Nas 100 páginas do livro, ele conta os seus desafios desde a infância, como aprendeu a locomover-se de joelhos e usar a boca para escrever, utilizar o computador e o telemóvel.

“Desde que eu era pequeno, sempre gostei de manter-me ocupado e trabalhando. Eu não gosto de depender totalmente das outras pessoas”, disse Claudio ao jornal britânico Mirror.

brasileiro-cabeca-virada-para-tras2A determinação dele vem desde pequeno e de família. Quando criança, os médicos acreditavam que não sobreviveria, por conta dos problemas respiratórios, e algumas pessoas chegaram a dizer para a mãe dele não o alimentar mais. No entanto, a família nunca desistiu da criança.

“Eu não me vejo como uma pessoa diferente”

“Durante toda a minha vida eu consegui adaptar o meu corpo ao mundo. Agora mesmo eu não me vejo como uma pessoa diferente. Sou uma pessoa normal”, destaca Claudio.

Maria José Vieira, a mãe de Claudio, conta que sempre fez com que o filho tivesse uma vida comum à das outras crianças. “Essa é a razão por que ele é tão confiante. Ele não é tímido para andar pela rua, canta e dança”, afirma.

Por causa de seu biótipo, ele nunca conseguiu usar cadeira de rodas e isso tornou as coisas mais difíceis para se tornar independente e sair de casa. Porém, ele implorou para a sua mãe para que permitisse que fosse à escola e aprendesse com as outras crianças.

Hoje Claudio é palestrante motivacional, participa de eventos no Brasil e no mundo, fala inglês e espanhol e planeja fazer pós-graduação e mestrado na área contábil. Sua história de vida já foi exibida pelo canal norte-americano Discovery Channel em vários países.

Como você se enxerga?

Se Claudio tivesse olhado para as suas limitações, sequer teria tentado fazer algo diferente. No entanto, ele nunca sentiu-se “diferente” e também nunca aceitou depender dos outros. Quem olha as dificuldades com os olhos físicos acaba só enxergando as circunstâncias e razões para desistir. No entanto, quem não se limita ao que os olhos estão vendo e sim enxerga com os olhos espirituais não é vencido pelos obstáculos.

“Se a sua reação automática for desistir, não sairá do lugar. Porém, se você se treinar a contra-atacar e lutar até o fim, nenhuma resistência poderá vencê-lo. No momento em que sente que não há mais saída, continue”, incentiva Jadson Edington no livro “50 Tons para o Sucesso”.

Se começar a agir assim, ao contrário do que as pessoas normalmente fariam, você irá surpreender-se com os resultados.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.


O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *