Notícia

Cantora revela que dava muita atenção a críticas, o que lhe causou depressão

Internacional |

A norte-americana Kesha (fotos) é uma das cantoras mais influentes da música pop atual. Desde o seu álbum de estreia, em 2010, ela recebeu dezenas de prêmios, dos mais importantes críticos de música, reuniu milhões de fãs e até participou de programas de televisão como atriz.

Mesmo assim, a popstar, de 30 anos de idade, revela que, por muito tempo, permaneceu em um estado de depressão do qual a fama não pôde livrá-la.

“Tentar mudar a sua vida baseando-se na opinião de outras pessoas pode deixar você louco”, declarou Kesha ao site estadunidense Teen Vogue. De acordo com a cantora, ela deu mais atenção às críticas sobre o seu corpo do que seria saudável, o que a levou também a ter um comportamento alimentar destrutivo. Por querer ter a beleza que as outras pessoas exigiam na internet, Kesha desenvolveu um grave transtorno alimentar.

“Isso se tornou um ciclo vicioso: quando eu me comparava aos outros, eu lia mais comentários maldosos que apenas alimentavam a minha ansiedade e a minha depressão. Ver as fotos que os paparazzi tiravam de mim e acompanhar os comentários nelas alimentou a minha desordem alimentar.”

Sociedade cega

Kesha está sob muitos olhares por ser famosa, mas a pressão que a sociedade realiza em relação aos padrões de beleza atinge não apenas ela, como também muitas mulheres anônimas.

Conforme afirma a escritora Cristiane Cardoso, “a nossa sociedade não quer nos deixar enxergá-la, pelo contrário, ela quer impor, ditar e obrigar a mulher (e o homem também) a se limitar a um tipo de beleza com um só formato que só se vê com os olhos, e precisa ter um certo nome e estar na moda. Quando alguém não vive essa beleza, ela é diminuída, descartada e dedurada como cafona”.

E as redes sociais têm um grande papel nessa pressão exercida por pessoas maldosas, que não se importam com a saúde das mulheres, mas sim com a aparência delas. Como aconteceu com Kesha, muitas mulheres recebem em suas fotos comentários agressivos.

“Essa é uma das razões pelas quais eu mudei o meu relacionamento com as redes sociais”, afirma Kesha. “Eu amo as redes sociais porque é como me comunico com os meus fãs — e nada significa mais para mim do que os meus fãs —, mas muito disso pode exacerbar a minha ansiedade e a minha depressão.”

A cantora afirma que, quando dava mais atenção aos comentários online, não se julgava capaz de ser amada. Hoje, não utilizando com tanta intensidade as redes sociais, ela aprendeu a aceitar o seu corpo e é feliz assim. E recomenda que as outras mulheres sigam o mesmo caminho:

“Eu quero passar adiante a mensagem para qualquer pessoa que lute contra um transtorno alimentar ou depressão ou ansiedade ou qualquer outra coisa: se você tem cicatrizes físicas ou emocionais, não se envergonhe delas, porque elas são parte de você. Lembre-se de que a beleza vem em todas as formas e tamanhos. E ninguém pode tirar o que lhe faz especial.”

Caso você esteja sofrendo com algum dos problemas citados nessa matéria, conheça o Grupo Godllywood, que auxilia mulheres de todas as idades a lidarem com essas situações, ajudando-as a descobrir a sua verdadeira beleza.

Fonte: Universal.org

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *