Notícia

De onde veio a sua vida?

Internacional, Nacional, Notícias |

De um Criador ou do mero acaso?

macaco evolução criação iurdCriacionismo e evolucionismo. Uma luta sem fim. Uma polêmica interminável.

O primeiro conceito está descrito em Gênesis, logo em seu início. Explicado de forma simples, acessível por todos. Deus, em Seu tempo, criou tudo e todos de uma forma perfeita. Tanto, que mesmo alguns cientistas defendem o “design Divino” de estruturas inorgânicas ou biológicas, analisando o desenho, a estrutura perfeita e coerente de tudo, desde os níveis microscópicos até a aparência externa geral.

O segundo conceito não é uma criação de Charles Darwin (1809-1882), naturalista inglês, como muitos pensam. A teoria de que os seres vivos evoluíram a partir de simples estruturas unicelulares e se adaptaram conforme a necessidade da manutenção da vida e de acordo com o meio já vinha antes de Darwin. Só que seus estudos ganharam a atenção de muitos que negam a presença de um Criador para todas as criaturas.

Um ponto é comum nessa polêmica: a afirmação de que o homem teria evoluído a partir de um antepassado comum com outros primatas, os macacos. Esse antepassado seria o chamado “elo perdido”, cujos indícios nunca foram encontrados. Ou seja: o elo perdido continua perdido.

Vamos a um plano maior que o dos seres vivos. Os evolucionistas acreditam que uma colossal explosão primordial de energia (o conhecido big bang) criou toda a matéria existente. Eles só não conseguem explicar de onde veio essa energia. Como tudo que existe veio do nada, segundo tal teoria? Se havia a presença dessa energia, então o termo “nada” não pode ser usado.

*Leia mais: Fósseis achados em Israel põem em xeque a teoria da evolução humana

Já no entender dos criacionistas, tudo se deu conforme Gênesis. Deus criou céus, terra, seres vivos, todo o universo, de forma que nós nunca entenderemos com nosso intelecto humano.

Como crer que a Terra está à distância apropriada do Sol para permitir que haja vida, que a mistura de gases na atmosfera possibilita o mesmo, que essas e outras formas coerentes com nossa existência sejam frutos do acaso?

A Bíblia fala de fatos. Os cientistas (nesse caso) jogam com hipóteses. Ninguém prova o tal big bang. Ninguém encontrou o elo perdido, embora pesquisas e escavações nesse sentido não sejam raras.

No lugar de Deus
As tentativas de o homem substituir Deus são comuns ao longo da História. E atualmente. Com o mundo entregue a um ser que se julga melhor que Deus, que muitos julgam imaginário, não é de se admirar que o cenário geral esteja tão caótico. O engraçado é que muitos se esquecem de outra passagem de Gênesis em que o homem se afastou de Deus e saiu perdendo muito, conhecendo de perto tudo o que é ruim.

Mais importante do que de onde viemos – o que a Bíblia já explicou, embora muitos não aceitem – é para onde vamos – o que a Bíblia também explica. É o que fazemos com a vida que Deus nos deu, aqui na Terra e eternamente, ao lado dEle. Eis uma boa diferença: quem crê em Deus vê um cenário futuro ao lado do Criador do universo. Já quem acredita no acaso, que pode até ser representado por um macaco, estará ao lado de quem?

Felizmente, muitos dos nossos mais renomados cientistas do passado e do presente aceitaram e aceitam, como princípio básico, que Deus existe e criou tudo que existe. Isso nunca os impediu de pesquisar, aprender e de dar importantíssimos passos em direção ao progresso da ciência e do homem. Enquanto isso, outros rejeitam o Divino, e idolatram o acaso – quando não idolatram a própria inteligência, o que é bem comum a egos inflados.

“Pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador, O qual é bendito eternamente. Amém!”Romanos 1.25

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *