Notícia

“É dever de um pai ajudar a filha de outro homem a chegar em segurança em casa”

Internacional |

enxergar_o_proximoO morador de rua identificado apenas como Mark jamais seria enxergado pela britânica Nicole Sedgebeer, de 21 anos, se ela não tivesse precisado de ajuda, conforme a própria jovem descreveu em seu perfil no Facebook.

Já era tarde quando Nicole perdeu o último comboio em Euston, na Inglaterra, para a sua cidade, Milton Keynes, a 72 quilómetros de Londres. No entanto, quando ela estava quase a ponto de entrar em desespero por ter de passar a noite na rua, ela conheceu Mark, que encontrou um lugar seguro para que a moça passasse a noite.

“Ele não apenas levou-me até um café aberto a noite inteira como buscou-me às 5 da manhã para levar-me de volta até a estação ferroviária”, escreveu Nicole em sua publicação, junto com uma foto (acima), o primeiro selfie de Mark. Ela contou que eles tomaram um café juntos e que o morador de rua disse o quanto aquela região é perigosa. No começo, ela até duvidou que ele realmente iria retornar pela manhã – já que teria de voltar para o albergue onde estava –, mas, para a sua surpresa, ele até pegou um autocarro para buscá-la no café.

“Eu espero que essa história faça as pessoas pensarem duas vezes quando encontrarem um morador de rua”, escreveu Nicole. “Esse homem, que eu provavelmente evitaria encarar se ele me parasse pedindo uns trocos, transformou uma situação negativa em algo para abrir completamente os meus olhos. Mark, você é um homem especial. Eu jamais vou olhar com indiferença um morador de rua”, comentou a jovem.

Determinada a retribuir a gentileza, Nicole escreveu a sua experiência em uma página online que arrecada fundos, pedindo ajuda para Mark e os outros moradores de rua da região. Em apenas 8 dias, a história teve mais de 19 mil partilhas e ela arrecadou quase 10 mil libras esterlinas, o equivalente a quase 13 mil euros.

De acordo com a jovem, quando ela questionou Mark sobre o porquê de ele querer ajudá-la, ele respondeu que “é dever de um pai ajudar a filha de outro homem a chegar em segurança em casa”.

Como você olha o próximo?

A história de Nicole e Mark viralizou nas redes sociais. Impressionadas com a atitude do morador de rua, muitas pessoas disseram que, assim como a jovem, também mudaram o seu modo de olhar para o próximo.

Como seres humanos temos a tendência de pré-julgarmos as pessoas ao nosso redor. Tiramos as nossas conclusões conforme a roupa que vemos do outro, o modo de falar, de agir, de onde veio, onde estudou, os bens que possui, etc. No entanto, acima de tudo, Deus não nos vê dessa forma, sequer nos julga do modo como costumamos fazer.

Você já parou para pensar que por trás do rosto de um morador de rua existe uma história, uma lembrança, um passado, um futuro, um sonho?

É pensando nisso que há alguns anos o Centro de Ajuda desenvolve um trabalho social com pessoas que moram na rua. Semanalmente, voluntários do grupo Anjos da Noite levam roupas e comida aos sem teto. Uma ação que já ajudou milhares deles em todo a Europa e também no mundo, e fez com que os próprios voluntários tivessem um olhar acolhedor em relação a essas pessoas.

Assista ao vídeo do trabalho realizado recentemente pelos Anjos da Noite no Rossio, em Lisboa:

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

1 comentário

Nielsy Marques Responder 26 Março, 2016 às 22:04

Muito forte essa matéria. É muito facil na maior parte das vezes olhar, e julgar pela aparência, do que se colocar no lugar do outro. Esse trabalho dos anjos da noite é incrível, e de muita serventia para várias almas que a encontram sofrendo pelas ruas.