Notícia

E se o seu marido ficasse 20 anos sem falar com você?

Internacional |

n-casal-japa-large570-690x460Era uma vez, em uma linda cidade japonesa, um casal. Eles viviam normalmente, conversavam como qualquer um faz.

Um dia, a esposa engravidou e teve filhos, envolvendo-se muito nos cuidados com eles. O marido, enciumado e tomado de mau humor, simplesmente parou de conversar com ela, que continuava a lhe falar normalmente.

Os anos foram passando, os filhos foram crescendo e o pai conversava com todos eles – sim eram três filhos –, mas com a mãe, nenhuma palavra. E por 20 anos foi assim. Só ela falava e ele tão zangado de ciúmes, não conseguia falar com ela.

Até que um dia alguém pensou em um plano para mudar essa situação. Tramou-se um encontro em um lugar muito especial para eles: o parque onde se conheceram. Ali, após alguns segundos de silêncio, o marido não resistiu e falou:

“Parece que faz um tempo que nos falamos. Você era tão preocupada com as crianças. Yumi, até agora, você passou por muitas dificuldades. Sou grato por tudo o que você fez.”

Sim, o nome da esposa que suportou quase duas décadas do silêncio do marido é Yumi, ou melhor, Katayama Yumi, e ela não é um personagem fictício. Ela existe e a história dela é real. O caso aconteceu na cidade de Nara, antiga capital do Japão, e o calado marido é Otou.

O encontro foi organizado por um programa de televisão local. Confira como foi no vídeo abaixo:

“Quando as crianças vieram ao mundo, minha mulher ficou muito envolvida e ocupada com elas. Fiquei meio ciumento. Estava mal-humorado”, confidenciou o marido. O peculiar caso foi publicado no site inglês The Mirror.

Mas, apesar de o motivo do silêncio ter sido o ciúme motivado pelo nascimento das crianças, os filhos ressaltaram que, com eles, o pai conversa normalmente.

Mas por que, em vez de se calar com a esposa, ele não conversou sobre o que o aborrecia?

O castigo do silêncio

O apresentador do programa “The Love School – A Escola do Amor”, Renato Cardoso, relata no livro “Casamento Blindado” como usou erroneamente, nos primeiros anos de casamento, o silêncio como uma forma de punição à esposa, a também apresentadora do programa, Cristiane Cardoso. “Cresci vendo o meu pai lidar com os problemas entre ele e a minha mãe se fechando com ela. Toda a minha infância foi assim. Se minha mãe fizesse algo que o desagradasse, o meu pai a ‘punia’ lhe dando ‘gelo’. Dois, 3, 5 dias. O mais longo, acredite se quiser, foi de 8 meses”, relembra o apresentador. Mas, mesmo odiando a atitude do pai, adivinha o que aconteceu quando ele casou? Renato fazia o mesmo com a esposa.

A solução veio quando ele compreendeu o que estava por trás do comportamento e fez ajustes para lidar com a raiz do conflito, atacando o problema e não a pessoa.

Renato lembra que, mesmo brigando e “ficando de mal” com o cônjuge por algumas horas ou alguns dias, mais cedo ou mais tarde a pessoa terá que fazer as pazes de novo, então é bem melhor resolver o problema o quanto antes. “Se vai ter que resolver mesmo, então por que não agora? Economize a dor de cabeça, a cara feia e o ‘gelo’. Resolva logo de uma vez. Fale o que tem que falar, ouça o que tem que ouvir, use a cabeça, e chegue a um acordo. Mas certifique-se de duas coisas: não deixe para depois e tudo tem que acabar em beijos.”

Um dos ensinamentos passados pelos apresentadores, e que mais tem ajudado milhares de casais, é o dos “10 passos para resolver problemas”, descrito no livro “Casamento blindado”.

Além disso, todas as quintas-feiras, na Universal, acontecem as palestras da Terapia do Amor, em que casais e solteiros aprendem os segredos para um relacionamento feliz. Participe.

Fonte: universal.org

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *