Notícia

Fazer a sua obrigação já é o bastante?

Internacional |

policiais_holandaNaquela noite ela não pôde preparar o jantar de seus cinco filhos. Diabética, apresentava graves sinais de hipoglicemia e precisou ser atendida por socorristas. Os polícias que cuidaram dela enviaram-na ao hospital, mas as crianças, evidentemente, não a puderam acompanhar na ambulância.

Em Eindhoven (Holanda), assim como no mundo inteiro, o trabalho da polícia vai até esse ponto: socorrer. Os oficiais que atenderam essa moça, entretanto, foram além. Sabendo que as crianças estavam com fome e teriam de esperar muito para que algum parente os buscasse, os policiais prepararam o jantar – e ainda limparam a cozinha.

Uma foto deles lavando a louça se espalhou na internet, rendeu muitos elogios e levantou a questão: Você tem feito mais do que a sua simples obrigação?

Multiplicando talentos

Entre as parábolas do Senhor Jesus, encontra-se uma, em especial, que demonstra o rigor Divino quanto às obras praticadas pelo homem. A Parábola dos Talentos está na Bíblia em Mateus 25.14-30 e conta a história de um nobre que precisou viajar para uma terra distante. Chamando três servos, ele distribuiu o seu tesouro: a um deu cinco talentos, a outro dois e a outro, um – “A cada um segundo a sua própria capacidade; e, então, partiu.”

Servos_TalentosOs dois primeiros saíram a negociar e, quando o nobre voltou, apresentaram bons lucros, sendo chamados de servos bons e fiéis.

O que recebera um talento, entretanto, teve medo de perder o que possuía e guardou-o em local seguro. Ao apresentar os seus resultados ao nobre, ouviu dele:

“Servo mau e negligente, sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei? Cumpria, portanto, que entregasses o meu dinheiro aos banqueiros, e eu, ao voltar, receberia com juros o que é meu.”

Aqueles que fizeram mais do que a obrigação, que se dedicaram em benefício do senhor, foram exaltados. Entretanto, quem não andou a segunda milha soube que o servo inútil será lançado fora, nas trevas, onde haverá choro e ranger de dentes.

Maus e negligentes

Para ser mau não é preciso roubar ou matar. Basta deixar de praticar o bem que está ao seu alcance. Ser negligente é agir com indiferença, preguiça, desatenção. Quantas vezes o homem deixa de estender a mão a quem necessita? Quantas vezes fecha os olhos ao carente?

Cabe a cada um escolher se será um servo bom, que entrará no gozo do Senhor, ou um servo mau, de quem até o que tem será tirado.

No próximo domingo, participe do Encontro com Deus, no Centro de Ajuda mais próxima de si, e descubra como merecer o título de servo bom e fiel.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *