Notícia

Fim dos Tempos

Internacional |

div.690x460O recente filme “Mad Max – Estrada da Fúria” mostra um futuro próximo nada animador para a Terra. Seres humanos se matam por causa da água, num cenário desértico e desolado que parece ter se estendido por todo o mundo.

A aparência e o comportamento das pessoas está bem longe de ser agradável (foto), assemelhando-as a monstros e zumbis.

O mais triste disso tudo é que a ficção está se baseando na realidade.

São Paulo, a maior cidade do Brasil, passa por uma estiagem histórica, com o principal reservatório do município quase seco. Mesmo com algumas chuvas no início de 2015, a situação está bem longe de uma solução. O mais interessante é que a mesma cidade que passa por uma seca sem precedentes tem dois grandes rios (Tietê e Pinheiros) que a cortam, mas a água está tão poluída que não há como usá-la.

E não é só no Brasil. A Califórnia, nos Estados Unidos, passa pela maior seca de sua história há 4 anos. Mesmo importando água de outros estados, os californianos foram forçados a um racionamento severo, até nas regiões mais ricas. O governo cogita diminuir o abastecimento em 70% em algumas localidades. É aí que a realidade de “Mad Max” entra em cena: a escassez faz a polícia californiana ter que lutar contra um novo tipo de crime: o roubo ou furto de água.

Vizinho rouba vizinho: tem sido comum, quando famílias saem, que os moradores próximos “saqueiem” as caixas d’água das casas vazias. Na cidade de Sacramento, um homem fez uma ligação ilegal entre sua casa e um hidrante de rua, mas foi preso em flagrante. Uma colônia de férias no Vale do Silício tentou canalizar a água de uma cachoeira local sem autorização. Em Porterville, uma caminhonete com garrafões de água que ia ser levada a uma área carente foi roubada de madrugada. Há notícias de pessoas roubando água de canais públicos e vendendo ilegalmente.

Nem fardas ou armas espantam os ladrões: em North San Juan, assaltantes esvaziaram o tanque do corpo de bombeiros local com a ajuda de um caminhão-pipa; em Oakland, até o tanque de um caminhão-pipa da Marinha foi roubado.

As autoridades locais, ao mesmo tempo em que lutam contra esse novo tipo de crime, alegam que ele é fruto do desespero, fazendo com que as pessoas adquiram água do jeito que for possível. O quadro não é animador. Até a revista francesa “M”, do jornal Le Monde, fez uma matéria com um ensaio fotográfico intitulado “Califórnia: o vale da sede”.

Crise mundial

A Organização das Nações Unidas (ONU) divulgou que, até 2050, duas em cada três pessoas no mundo sofrerão pela escassez da água. Muito está sendo retirado das reservas subterrâneas naturais em alguns países, sem que dê tempo de a natureza repor, secando esses reservatórios aos poucos. A chuva tem diminuído em lugares em que isso nunca foi problema.

Tudo citado acima leva ao cenário descrito na Bíblia, em Apocalipse. Seres humanos veem os semelhantes como ameaça. Faltando água, a produção de comida é seriamente comprometida, gerando menos oferta e maiores preços. Para se ter uma ideia, 80% da água consumida na Califórnia vai para a agricultura. E sem irrigar, como plantar?

Os sinais são claros. Porém, muita gente continua a acordar e a dormir todos os dias sem dar a mínima atenção ao que isso significa: devemos estar prontos para a Salvação.

E você, se importa sobre onde vai passar a Eternidade ou acha que isso não deve ser uma preocupação de agora?

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *