Notícia

Jornalismo de má-fé

Internacional |
ma-fe

De tempos em tempos, algum órgão de Imprensa elege a Igreja Universal do Reino de Deus como alvo preferencial de um indisfarçável preconceito que resiste nas entranhas do Brasil. E muitos já se revezaram nesse papel ridículo.

Atualmente, é a revista “Galileu”, da editora Globo, que supera-se como porta voz da discriminação religiosa.

Em uma reportagem intitulada “Má-Fé”, de 12 páginas, a edição de maio de 2016, entre deboches aos costumes, templos e à doutrina religiosa da Universal, tenta, com todas as forças, convencer seus leitores de que a Igreja engana os adeptos com promessas de cura e, com isso, sobrecarrega o sistema público de saúde.

E que provas documentais ou científicas a jornalista responsável pelo texto de uma revista supostamente “de ciências” apresenta para confirmar tal hipótese? Nenhuma.

Algumas entrevistas, um estudo norte americano sobre a mortalidade infantil em comunidades “que frequentam igrejas pentecostais” naquele país, uma sentença judicial desfavorável à Universal – escolhida dentre muitas outras favoráveis do mesmo tribunal – e um cozido de antigas acusações veiculadas pela Imprensa, todas desmentidas pelo Judiciário, pela verdade dos fatos, ou pelo julgamento do tempo.

A única referência científica citada no texto, da Associação Mundial de Psiquiatria, confirma de modo categórico a convicção da Universal e de nossos 9 milhões de adeptos em todo o mundo: a Fé auxilia – e muito – na cura de doenças.

Ainda sobre mentiras veiculadas pela imprensa, a Galileu, por exemplo, já havia tentado, em 2015, engrossar o coro de uma falsa polêmica envolvendo o projeto “Gladiadores do Altar”, programa de ensino bíblico destinado a jovens vocacionados para o trabalho missionário. Em um texto sobre fanatismo, a revista chegou a comparar a atuação do grupo, irresponsavelmente, com fatos que marcaram a ascensão do fascismo na Europa no Século 20.

O título desta mais recente reportagem sobre a Universal talvez caia como uma luva para o resultado que a Galileu tem apresentado quando se refere à prática de jornalismo que reserva à Universal: má fé.

UNIcom – Departamento de Comunicação Social e de Relações Institucionais da Universal

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

1 comentário

João Marques Responder 6 Maio, 2016 às 12:36

Não conhecia esta revista.
Há pelo menos dois factores que influência o trabalho jornalístico;
Um deles é a necessidade de o trabalho ser feito de uma forma imparcial;
O outro é a necessidade de haver conhecimento sobre a matéria que se escreve.