Notícia

Maracanã: um grande templo a céu aberto

Internacional |

Em “Nada a Perder 2 – Meus desafios diante do impossível”, o bispo Edir Macedo conta que as suas primeiras reuniões religiosas aconteceram em praças e cinemas no subúrbio do Rio de Janeiro. Mas ele decidiu ousar e buscar outras maneiras de levar a mais pessoas a Palavra de Deus. Assim, o primeiro passo foi locar o Ginásio do Olaria, na zona norte da capital fluminense.

No entanto, as concentrações reuniam um número cada vez maior de pessoas e, em pouco tempo, houve a necessidade de procurar um lugar com mais espaço para abrigá-las. Foi então que as reuniões começaram a ser realizadas no Ginásio do Maracanãzinho, ao lado do Estádio do Maracanã, na zona norte do Rio. Mas o local também ficou pequeno.

“A nossa visão, a partir daí, passou a focar outro ponto de mira, mais desafiador: o Maracanã, à época o maior estádio do mundo. O Maracanãzinho não suportava mais o nosso tamanho. Eu sabia que já tínhamos estrutura para essa prova de coragem”, declara o bispo Edir Macedo em sua autobiografia.

Ato desafiador

Mesmo havendo algumas questões burocráticas que atrapalhavam a concretização dessa mudança para o estádio, algo grande estava por vir. Em abril de 1987, ano em que a Igreja completou uma década, o Maracanã, pela primeira vez, foi tomado por uma multidão presente na concentração de fé da Universal (foto acima).

Na época, estimou-se que mais de 200 mil pessoas estiveram presentes no “Duelo dos deuses”, realizado na Sexta-feira Santa, tradicional feriado religioso. Nenhum outro movimento religioso havia conseguido superlotar o Maracanã. Segundo narra o bispo em sua publicação, o nome da concentração tinha um objetivo estratégico: aguçar a fé de quem presenciaria o confronto entre o Deus da Universal contra os deuses deste mundo.

“Quando pisei no gramado e olhei ao redor do estádio, o meu coração bateu mais forte. Faixas e cartazes da Universal, de diferentes lugares, espalhados em todas as direções. Obreiros e pastores alinhados entre o incrível aglomerado de gente.”

Naquela reunião, o bispo Edir Macedo pediu que todos os presentes esquecessem o que haviam feito até as 9 da manhã daquele dia, porque, a partir daquele momento, teriam uma chance de começar uma vida nova.

Outras concentrações

E esse evento no Maracanã foi apenas o primeiro. Oito meses depois, em 27 de dezembro de 1987, a Universal promoveu outra concentração no estádio. E, dessa vez, contou com o apoio do Ginásio do Maracanãzinho, que transmitiu simultaneamente o encontro a milhares de pessoas que lá se concentravam.

Cerca de 250 mil pessoas transformaram as duas principais arenas esportivas do Rio de Janeiro em um grande templo da Universal. Caravanas de todo o Brasil estiveram presentes. “As minhas palavras foram sucedidas por uma memorável busca pelo maior de todos os milagres. Momentos intensos de intimidade. Imagino quantos nasceram do Espírito Santo naquele 27 de dezembro”, diz o bispo em “Nada a Perder”.

Em 29 de outubro de 1999 (foto acima), outra concentração ocorreu em grandes proporções no local, superando a de dezembro de 1987. Foi a maior realizada pela Igreja Universal. Mais de 250 mil pessoas participaram da “Vigília da Diferença na Noite de Abraão”, acomodadas no Maracanã e no Maracanãzinho, além de muitas terem acompanhado a concentração por telões colocados do lado de fora do estádio e do ginásio.

Às 23h daquele dia, o bispo Edir Macedo começou a vigília orando, ajoelhado, ao pé da cruz. “Estamos aqui, meu Pai, na fé de Teus apóstolos, para receber a plenitude do Teu Espírito e conquistar a nossa Terra Prometida”, disse ele, na ocasião. E assim foi.

Consagração

O bispo Macedo voltaria a se reunir com os fiéis da Universal no Estádio do Maracanã pouco mais de 7 anos depois, em 21 e abril de 1995 (foto ao lado). As dependências do estádio mais uma vez ficaram superlotadas. Na época, o bispo disse que nem mesmo a chuva e a perseguição conseguiram deter a fé das pessoas que ali estavam. “Qual o povo, em todo mundo, que não arreda pé do lugar, mesmo caindo uma chuva dessas: onde mais se pode encontrar tamanha fé?”

Em 1998, 3 anos depois, cerca de 150 mil pessoas compareceram ao Maracanã para buscar a vitória da própria vida. O evento também marcou a consagração de 121 pastores.

Naquele dia, o bispo Macedo falou sobre o poder de Deus na vida de Abraão, mesmo na velhice: “Esse mesmo Deus nos permite alcançar qualquer coisa. Deus chamou você para ser abençoado. Quando você tomar essa atitude e assumir essa crença, saiba que as mesmas promessas que foram feitas para Abraão serão feitas para você.”

E essas mesmas promessas valem para você ainda hoje, não importa se numa grande concentração da Universal, com milhares de pessoas, ou se reunido com alguns fieis na Universal do seu bairro. Assim como naquele abril de 1987, na primeira grande concentração no Maracanã, esqueça-se do que fez até aqui, porque, a partir do momento em que participar de um encontro da Universal, terá uma chance de começar uma vida nova. Encontre o endereço da igreja mais próxima de sua casa aqui e participe.

E você, participou de alguma dessas concentrações? O que mudou na sua vida? Compartilhe a sua história conosco nos comentários.

(*) Com trechos da autobiografia do bispo Edir Macedo “Nada a Perder 2 – Meus desafios diante do impossível”

Fonte: Universal.org

Tags:

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *