Notícia

McDonald’s ou McRefúgios?

Internacional, Notícias |

REUTERS:TYRONE SIU_4Os McDonald’s em Hong Kong passaram a ser conhecidos como McRefúgios ou McDormitórios

Os valores elevados das rendas e dos imóveis em Hong Kong têm contribuído para o aumento dos sem-abrigo na cidade. Os restaurantes McDonald’s que estão abertos 24 horas, sendo 123 na cidade, têm sido o refúgio de muitas pessoas, apelidadas de McRefugiados ou McAdormecidos, já que lá é mais confortável e seguro do que passar a noite na rua.

Nas ruas da cidade, as lojas da cadeia de fast-food americana já são conhecidas como McRefúgios ou McDormitórios.

REUTERS:TYRONE SIU_2No início de outubro, o caso de uma sem-abrigo, que foi encontrada morta numa das lojas, em Ping Shek, debruçada sobre uma mesa, chamou a atenção para a falta de apoios sociais para os mais desfavorecidos. Segundo os meios de comunicação locais, a cada noite dormem entre 10 e 20 pessoas em cada um desses estabelecimentos em Hong Kong.

A mulher, identificada pela polícia como Lai, de 56 anos, permaneceu imóvel por sete horas, antes que alguns clientes desconfiassem que algo estava errado. É que para os funcionários, a presença destas pessoas a dormir no restaurante já é encarada como algo natural.

REUTERS:TYRONE SIU_3Os empregados relataram que a mulher teria entrado pela hora do jantar, pedira água, mas não comida. Quando a mulher se debruçou sobre a mesa, nenhum dos empregados a interpelou: “Recebemos sempre bem as pessoas e, para proporcionarmos um ambiente agradável, não perturbamos os nossos clientes.

Os nossos serviços são prestados assim que forem solicitados”, explicou Wendy Lam, o diretor da McDonald’s de Hong Kong, ao jornal South China Morning Post.

O jornal afirma ainda que a polícia desconfia que a mulher passava regularmente as noites neste McDonald’s. O número de pessoas sem residência em Hong Kong, centro financeiro do sul da China, é relativamente pequeno, por volta de mil, segundo as ONG’s locais. Contudo, o fenómeno remonta a pelo menos 2007 e também foi documentado no Japão e na China continental.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *