Notícia

Muitos taiwaneses nunca ouviram falar da existência da Bíblia ou de Jesus

Internacional |

Taiwan é um Estado soberano, mas, apesar disso, não é reconhecido pela ONU (Organização das Nações Unidas) e pelas principais organizações internacionais.

Mantém relações diplomáticas com 26 países apenas. A China Popular considera Taiwan uma província rebelde, uma parte inalienável do seu território e, nos últimos anos, tem se empenhado ostensivamente no projeto de reunificação.

Apesar dos conflitos geopolíticos, Taiwan é considerado referência na indústria de tecnologia e é importante na economia global. É parte de um dos quatro “tigres asiáticos” e tem a 26ª maior economia do mundo. Ela também abriga o trabalho evangelístico da Universal, na cidade de Taipei.

Há cerca de 3 meses, o bispo James Marques (na foto ao lado, de preto) cuida da igreja e realiza encontros quase que diariamente. “Muitos taiwaneses nunca ouviram falar da existência da Bíblia ou de Jesus, mas é um povo simpático e aberto à mensagem da Salvação. Muitos carregam problemas familiares, pois preferem a tecnologia às relações pessoais”, afirma o bispo.

Outra característica do povo Taiwanês que justifica a ausência de membros durante a semana é a exaustiva carga de trabalho na qual a população se submete. “Vemos muitas pessoas com sede de mudar de vida, mas tanto cidadãos quanto imigrantes trabalham por volta de 12 horas por dia, o que impede algumas pessoas de virem à igreja”, explica o pastor. Por isso, as principais concentrações de fé acabam sendo aos domingos.

Mesmo com todas as dificuldades, o número de batismo aumentou. Um dos que decidiram se entregar a Deus foi Joshua Marcelo (foto ao lado), de 17 anos, que, convidado por um amigo, conheceu o trabalho da Universal em abril deste ano. “Eu queria ter uma nova vida com Jesus, por isso me batizei e abandonei a vida de pecado. Tinha o hábito de mentir e praticava bullying, mas decidi recomeçar e largar tudo isso”, conta.

Para Jenny Rose (foto abaixo), de 28 anos, o maior desafio para se converter foi deixar as más amizades. “Conheci a igreja por meio do Facebook e estou há 3 meses. Queria mudar de vida e, para isso, tive de ser mais seletiva com minhas companhias. Mas consegui e estou muito feliz em contar meu testemunho”, diz.

Conheça pessoalmente o trabalho realizado pela Universal, assista a uma de nossas reuniões.

Fonte: universal.org

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *