Notícia

Mulher abandonada em contentor

Internacional |

 

torturadaPeloNamoradoDois polícias australianos encontraram o corpo de uma mulher amordaçada e presa dentro de um contentor

Nikitah Beadman vinha a sofrer abusos por parte do seu namorado, Robert Galleghan, há mais de um ano, quando foi deixada para morrer dentro de um contentor.

Ao chegarem à casa do agressor, os polícias encontraram a vítima presa, amordaçada e torturada. “Ela tinha um colchão de ioga amarrado à volta da cabeça com arame e estava toda amarrada também com arame a um carrinho de compras de supermercado, que estava tão apertado que lhe cortava a pele”, relataram os agentes.

namoradoAgressor“Recordo-me dos agentes a pedirem-me desculpa, pois pensavam que eu não ia sobreviver, já que tinha arame também no meu interior”, conta Nikitah. A mesma refere que a tortura foi feita de forma a não poder ter filhos e que ainda hoje sofre com as dores do que o agressor lhe fez.

“Tenho a coluna e duas costelas tortas, as quais podem perfurar os meus pulmões se eu fizer qualquer movimento ou exercício; múltiplas distensões nas minhas costas; o nervo ciático afetado; e lesões nos nervos do meu braço direito, que me impedem de o usar”, relata a jovem.

Galleghan foi detido e acusado de tortura, agressão comum e violência ameaçadora. Entretanto, foi condenado a oito anos de prisão, mas poderá sair em liberdade condicional ao fim de três anos.

A Verdadeira Liberdade

“O Senhor é a minha força e o meu escudo; n’Ele o meu coração confia, n’Ele fui socorrido; por isso, o meu coração exulta, e com o meu cântico O louvarei”

(Salmo 28.7)

Mesmo no meio da pior tormenta e enfrentando o maior sofrimento, todo aquele que se vira para Deus em busca da Sua Salvação encontra sempre alívio e libertação junto d’Ele.

Se está a atravessar uma momento deveras difícil na sua vida e se já bateu a todas as portas e ninguém o conseguiu ajudar, não desespere e busque conforto, esperança e a verdadeira libertação em Deus.
Domingo, 9h30, no Centro de Ajuda mais próximo de si!

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.


O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *