Notícia

O desafio

Internacional, Nacional, Notícias |

Escritora Ester Bezerra, esposa do bispo Edir Macedo, responde perguntas sobre fé e a participação das mulheres na Obra de Deus

esterbezerra

A mulher, por si só, precisa vencer vários desafios: o desafio de ser mãe, esposa, profissional e mulher. Em suas conquistas mais primorosas ao longo das décadas está a de vencer o preconceito contra ela. Lugar de mulher hoje não é mais na cozinha – ou apenas na cozinha e no tanque –, mas é nas chefias, nas altas posições, na presidência – seja de uma empresa, seja de uma nação.

Mas há um lugar também em que ela pode ser considerada uma rainha: ao lado do marido. Como auxiliadora, a mulher tem um papel fundamental no crescimento do casal e nas conquistas de ambos. Foi por isso que conversamos com exclusividade com a escritora Ester Bezerra, esposa do líder máximo da Universal, bispo Edir Macedo.

Ela recebeu a equipe do Universal.org ao lado do marido e contou qual é o desafio como esposa de um grande líder, qual o maior aprendizado que recebeu ao longo de todos esses anos ao lado do bispo Macedo e como vê a participação cada vez mais efetiva das mulheres na Obra de Deus. Acompanhe:

Universal.org: Qual o maior desafio como esposa de um grande líder espiritual mundial?

Ester Bezerra (EB): O desafio não é ser a esposa de um grande líder, mas é ter a honra de ter sido escolhida – nós dois – para essa Obra. Saber que Deus confirmou no nosso coração que somos escolhidos e fomos chamados para essa Obra, só isso já me faz segura.

Aos olhos humanos, a gente pode pensar: “Isso tudo é muito grande, não somos capazes para isso.” Mas temos a certeza, a confiança, de que isso não é obra do homem, não é a força do braço, mas é a confiança em Deus, a dependência de que o Espírito Santo está por cima. Então, não é um esforço. Eu não tenho que me esforçar. O maior desafio é que tenho que ter essa confiança de que o Espírito Santo é quem está guiando, não o líder. É Deus quem está abrindo portas, fazendo as maravilhas que têm acontecido.

Universal.org: Qual o seu maior aprendizado com relação a todo esse trabalho?

EB: Eu já havia sido criada no Evangelho, mas o que aprendi com ele (aponta para o esposo) foi a fé que ele me transmitiu. Eu tinha fé, mas era muito pequenininha, sem eco, sem resposta. Não era a fé de se lançar, de ficar na dependência de Deus. O que aprendi com ele, nesse ministério, foi a desenvolver essa minha fé ao longo dos anos. A gente crê que nada é impossível, nada mesmo é impossível, porque nós estamos vendo com os nossos olhos esse crescimento, que Deus é conosco, agindo em todos os momentos.

Universal.org: A Universal tem aberto um grande espaço para as mulheres. Como a senhora vê essa participação efetiva delas na Obra de Deus?

EB: Acho que nós perdemos tempo (risos). Já podia ter acontecido isso anos atrás, desde o início. Mas é como se nós fôssemos crianças, faltava o crescimento, a disposição. Mas agora chegou o momento. Além disso, a Igreja está madura, tem outra visão.

Universal.org: A mulher tem hoje uma vida muito intensa. Na sua opinião, o que ela pode fazer para se tornar um referencial para outras mulheres?

EB: A mulher não pode inclinar-se para o fanatismo ou não ter nada de Deus. Nós queremos ficar no centro disso. E nós temos a orientação de Deus para isso, por meio dos frutos: ter alegria, se mostrar uma pessoa feliz, paciente… O que nós queremos que apareça são os frutos, e não nós. Eu não tenho que fazer nada, eu só tenho que viver essa fé.

Universal.org: Existe uma mulher na Bíblia que a senhora tem como referência?

EB: Eu admiro a fé de Ana. Na época dela, passar por tudo aquilo sozinha… Mas ela se humilhou diante de Deus. Ninguém ensinou isso para ela, partiu dela essa iniciativa de ir ao templo fazer um pedido a Deus. Era uma mulher que dependia de Deus. Ela se humilhou, por isso aprecio muito a fé de Ana (leia 1 Samuel 1).

Universal.org: A senhora gostaria de deixar um recado para as mulheres casadas, e também para as solteiras?

EB: Para as casadas eu digo o seguinte: olhar para o marido como se fosse o próprio Senhor Jesus. Fazer para ele como se estivesse fazendo para Jesus. Temos que fazer isso com todos, mas principalmente com o marido.

E para as solteiras, digo: não se preocupem com a demora, talvez, por ainda não ter a pessoa. Mas confie que Deus está acima de tudo. Se você entregou a sua vida a Deus, Deus sabe o desejo do seu coração, e vai chegar o momento.

Fonte: Universal.org

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *