Notícia

O incessante trabalho da Universal em Angola

Internacional |

univAngolaA Universal completou, no mês de julho, 38 anos de existência. Durante toda a sua trajetória, enfrentou muitas lutas, porém, nada limitou o seu crescimento. Seus primeiros passos foram dados no Rio de Janeiro, em um antigo prédio onde antes funcionava uma funerária, e, atualmente, está presente em quase 200 países, para realizar o trabalho espiritual e de ações sociais para os que sofrem e se encontram desamparados.

O continente africano é um dos beneficiados pela ajuda da Universal. As ações sociais e reuniões espirituais realizadas na região têm transformado vidas. No último dia 27, foram abertas as portas de mais um templo da Universal lá, no bairro de Balumuka, localizado na província de Luanda, capital angolana.

Cerca de 1,5 mil pessoas participaram da inauguração. Algumas levavam cestos de frutas na cabeça, representando o agradecimento pelo templo construído.

As dificuldades

A Universal já atuava no bairro de Balamuka, mas enfrentava dificuldades com a estrutura do templo, como problemas de acesso e a falta de salas para acomodar com conforto as crianças.

Depois de muito esforço, foi encontrado um espaço que atenderia as expectativas, e o empenho de todos contribuiu para uma rápida solução para o problema, melhorando não só a acessibilidade, mas proporcionando comodidade e conforto para os membros da Universal.

UnivAngola2Uma palavra de fé

O responsável pelo trabalho evangelístico em Angola, bispo Luiz André, esteve presente na inauguração e falou sobre a importância do trabalho da Universal no país.

“Durante os 20 anos em que a Universal está em Angola, temos visto que muitas famílias têm sido restauradas e pessoas estão sendo libertas dos vícios de drogas e da prostituição”, relatou o bispo, que consagrou o pastor Luciano Evaristo e a esposa dele para procederam com a bênção de Deus no novo templo.

A Universal tem desenvolvido intensos trabalhos de evangelização e também sociais nas comunidades carentes de Angola.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *