Notícia

Para a fé não há fronteiras

Internacional |

 

CdA-africaQuando pensamos no continente africano logo vem à mente a pobreza que assola a maioria dos países.

As dificuldades de sobrevivência, muitas vezes, são vistas como obstáculos para quem deseja levar apoio à população que sofre com a miséria. No entanto, apesar dos sacríficios, os voluntários da Universal têm ajudado a transformar a realidade de milhões de africanos há mais de duas décadas.

Todos os dias, dezenas de países e aldeias recebem apoio espiritual e material, como Malawi, um pequeno país com 14 milhões de habitantes, localizado no sudeste da África. Lá, a fome impera há muitos anos. Mas, nos últimos meses, tem sido avassaladora. Em abril deste ano, o presidente, Peter Mutharika, declarou que o país passa por um “estado de catástrofe natural”, por causa da forte seca que atinge a região há cerca de um ano. Em razão disso, a colheita de milho teve queda de 12% em relação a 2015, o que gerou escassez de alimentos e inevitavelmente demandará ajuda humanitária neste ano e em 2017.

No Malawi, há mais de 20 anos, O Centro de Ajuda auxilia os que sofrem com a realização de trabalhos sociais, como a distribuição de alimentos e outros cuidados. Contudo, o apoio não é apenas material: voluntários também levam à população ensinamentos de como obter uma nova vida por meio da fé racional.

cda_africaPara conseguir ir mais longe, desde fevereiro de 2015, um templo do CdA está sendo construído na cidade de Blantyre, a segunda maior do país. O pastor Richard Correa, responsável pelo trabalho no Malawi, explica que o projeto, que tem previsão para ser concluído em agosto, é audacioso: “Hoje, as nossas igrejas são pequenas e, por isso, temos que fazer muitas reuniões ao dia para comportar a quantidade de pessoas que procuram ajuda. Essa catedral vai possuir uma estrutura jamais vista em nenhuma outra denominação do país”.

O novo templo terá capacidade para 900 pessoas, batistério com acesso a vestiários, Escola Bíblica Infantil (EBI) com três salas divididas por faixa etária, banheiro para portadores de necessidades especiais, salão para conferências para 300 pessoas e centro de ajuda coletiva para pessoas carentes.

No subsolo, haverá um espaço para os projetos do grupo Força Jovem Universal e no pátio um amplo e seguro estacionamento. Em todas as entradas, existirão rampas para facilitar o acesso de pessoas com dificuldades de locomoção.

Apesar dos problemas no Malawi, não existem barreiras para ensinar à população de que forma ela pode mudar de vida. “A religiosidade tem mantido muitas pessoas longe da verdade, mas estamos trabalhando para levar a Salvação a todo o povo”, aponta o pastor Richard.

Universal-africa

Com informações de: universal.org

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *