Notícia

Por que o azeite é usado nas igrejas?

Internacional, Nacional, Notícias |

A importância do óleo de oliva vai além do que vemos

azeite iurdEm muitas passagens da Bíblia o azeite de oliva aparece com um importante significado. Hoje mais popular na alimentação, também teve ao longo da história um forte sentido espiritual, além de outros usos, como em medicamentos e cosméticos.

A oliveira, cujo fruto dá origem ao tipo de azeite mais usado no mundo (existem os feitos de outros vegetais), surgiu na região em que hoje fica a Síria – onde já se situou o famoso Jardim do Éden.

O óleo das azeitonas foi usado por milênios como combustível para lamparinas, para iluminação nos imóveis, acampamentos ou com objetivo cerimonial, como nas menorás (candelabros judaicos de sete ou nove lâmpadas).

Relatos da comercialização do produto aparecem em livros bíblicos como 2 Crônicas, 1 Reis, Isaías, Ezequiel e Oséias. Os fenícios e gregos espalharam o uso do azeite pelas outras regiões mediterrâneas. Médicos da Grécia já o utilizavam em seus unguentos no século 7 antes de Cristo (a.C.), assim como os romanos e os próprios israelitas, além dos mesopotâmicos e egípcios, como atestam vários achados arqueológicos.

Além da utilização em temperos e para conservar e fritar alimentos, o azeite era matéria-prima de medicamentos como pomadas, de cosméticos (cremes e óleos para cabelos e pele) ou ainda misturado a essências perfumadas para uso no corpo ou em ambientes. Misturado a especiarias e flores, com ele era feito uma espécie de incenso.

Presença do Espírito Santo
reidaviO sentido espiritual do azeite é frequente até os dias atuais para povos como os judeus e os cristãos. O óleo simboliza a presença do Senhor, também representando o Espírito Santo. Com ele eram ungidos reis e sacerdotes, conforme a vontade de Deus (como na foto ao lado, da minissérie “Rei Davi”, quando o profeta Samuel ungiu inicialmente o filho de Jessé). Jacó por duas vezes ergueu altares de pedra sobre os quais derramou azeite (Gênesis 28.18 e 35.14).

Nos sacrifícios diários do Antigo Testamento também era usado o azeite, sempre de ótima qualidade (por exemplo, em Êxodo 29.40), assim como na purificação dos doentes (Levítico 14.10-18). Manjares para ofertas a Deus eram comumente usados sem fermento e com azeite. A ausência do fermento significava a abstinência do pecado, enquanto o azeite simbolizava a presença do Senhor. Quando as ofertas eram feitas para a expiação de pecados (Levítico 5.11), entretanto, não se usava o óleo de oliva. Ele também evidencia a cura espiritual (Marcos 6.13 e Tiago 5.14).

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *