Notícia

Selo do rei Ezequias encontrado em Jerusalém

Internacional |

3675147032-marca-do-selo-do-rei-ezequiasPequena inscrição pode ter sido feita pelo próprio rei, por volta do ano 700 a.c.

Arqueólogos israelitas descobriram uma marca do selo do rei bíblico Ezequias, que ajudou a transformar Jerusalém numa metrópole na Antiguidade: mais uma prova científica de que a Bíblia não mente.
A inscrição circular numa peça de argila, de menos de um centímetro de comprimento, pode muito bem ter sido feita pelo próprio rei, tendo em consideração que, na época em que Ezequias viveu, raras eram as pessoas que sabiam escrever, disse Eilat Mazar, da Universidade Hebraica de Jerusalém, que dirigiu a escavação onde a peça foi encontrada.

Ezequias governou o reino do Sul (Judá) por volta do ano 700 a.C. e foi descrito na Bíblia como um monarca ousado e dedicado a eliminar a idolatria no seu reino, “…de maneira que depois dele não houve seu semelhante entre todos os reis de Judá, nem entre os que foram antes dele” (2 Reis 18.5).
“Esta é a primeira vez em que a impressão de um selo de um rei israelita ou da Judeia veio à luz numa escavação arqueológica científica”, afirmou Mazar.

A impressão na argila, conhecida como bula, foi descoberta junto da parte sul de um muro que cerca a Cidade Velha de Jerusalém, uma região rica em relíquias do período do primeiro dos dois templos judeus antigos.

O artefacto estava enterrado numa área de despejo de dejetos que remonta aos tempos de Ezequias e, provavelmente, foi atirado de um edifício real adjacente, segundo Mazar, contendo escritos em hebreu antigo e o símbolo de um sol com duas asas.

arqueologos-israelenses-descobriram-uma-marca-do-selo-do-rei-biblico-ezequias-1449065490802_1920x1080A bula foi catalogada inicialmente e armazenada, juntamente com 33 outras, após uma primeira inspeção que não conseguiu detetar a sua verdadeira identidade.

Só cinco anos mais tarde, quando um membro da equipa a examinou sob uma lupa e discerniu pontos entre algumas letras é que o seu significado ficou claro. Os pontos ajudam a separar as palavras “Pertencente a Ezequias (filho de) Acaz, rei de Judá”. As marcas de finos fios no verso indicam que a peça esteve presa a outras e os arqueólogos acreditam ser o selo real de Ezequias que, algum dia, esteve preso a uma carta.

*Com informações do Jerusalem Post

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *