Notícia

Um ateu que procura o sentido da vida

Internacional, Notícias |

woodyallenUm dos mais respeitados diretores, produtores e comediantes de sua geração, Woody Allen, de 78 anos, carrega uma dubiedade dentro de si. Ao mesmo tempo que é filho de mãe judia, portanto etnicamente considerado judeu, é também ateu. Já deu declarações polêmicas a respeito da sua falta de crença em Deus, além de ter escrito um livro chamado God: a comedy in one act (Deus: uma comédia em um ato, em tradução livre).

Mas, mesmo que o diretor viva essa ideologia, parece que a falta de fé em algo também o incomoda. Durante uma coletiva de imprensa em Paris, na divulgação de seu último filme, ele disse que sua vida foi vazia, triste e sem sentido. “Por ser ateu e não acreditar numa razão para estarmos aqui, tive uma vida muito triste, sem esperança, assustadora”, confessou.

Ele ainda reflete mais sobre o assunto: “Você nasce sem um motivo claro, sente uma comichão sexual inexplicável para ter filhos, os tem, e então eles têm os seus filhos, e você tampouco entende a razão. Mais um pouco, e o mundo desaparece, e depois o universo”.

Talvez toda essa depressão seja reflexo do escândalo em que ele foi protagonista no começo deste ano. Sua filha adotiva, Dylan Farrow, acusou-o de tê-la molestado quando ela era criança, o que, provavelmente, o abalou.

Allen colecionou vários sucessos ao longo dos anos, mas também escândalos em igual proporção em sua conturbada vida real. Agora colhe o saldo do que plantou e reflete que a falta de crença em Deus talvez não tenha sido uma boa escolha.

A ausência de fé tirou toda a esperança de Allen e trouxe-lhe uma melancolia profunda, “quase palpável”. O que ele talvez não tenha entendido até hoje é que a fé em Deus não precisa de argumentos científicos ou teológicos para existir e trazer resultados.

Diante dos problemas, ter fé em Deus faz toda a diferença. É dela que vem a força para crer na transformação e fazer algo para mudar a situação. É nos momentos difíceis que ela dá suporte para o ser humano ter exatamente o que tem faltado a Allen: felicidade, esperança e vida com um propósito.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

1 comentário

Debora Anjos Responder 15 Setembro, 2014 às 18:37

Parabéns pelo artigo! Achei legal, talvez um pouco não-imparcial demais… Não acho q daria pra compartilhar com as pessoas q conheço q não são da igreja..
De Qq forma, foi informativo tb… Não sabia q o Woody Allen tinha sido acusado de escândalos, principalmente esse de pedofilia…