Ensino Superior em causa para 39,5 % dos alunos

ensino_superiorNúmeros recentes do gabinete da Comissão Europeia mostram que um em cada três alunos que ingressa no Ensino Superior desiste. Saberão os alunos planear o seu futuro?

O relatório da Comissão Europeia debruça-se sobre o acesso ao Ensino Superior, os níveis de retenção dos alunos e a empregabilidade dos cursos.

No Espaço Europeu de Ensino Superior, ou European Higher Education Area (EHAE), “quase um em cada três alunos que entram em programas não os completam”, diz o documento divulgado pela agência Lusa. Além disso, em muitos países as taxas de desistência têm vindo a aumentar e muito poucos Estados-membros têm tido a capacidade de desenvolver estratégias para minimizar este problema.

O EHAE sublinha no relatório que as instituições de Ensino Superior devem identificar e apoiar os estudantes com mais necessidades logo desde o primeiro ano de estudos, bem como fornecer informação e aconselhamento para diminuir a retenção e aumentar o sucesso escolar.

O estudo da Comissão Europeia analisou 34 sistemas de educação na Europa, verificando que “existem poucos exemplos nacionais de estratégias claras para atacar a questão” das taxas de desistência registadas em muitos países.

“Poucos países desenvolvem iniciativas, estratégias e medidas para melhorar o acesso dos grupos de estudantes que estão em minoria no ensino superior”, diz o documento, referindo-se a alunos com deficiências, estudantes mais velhos, minorias étnicas ou pertencentes a famílias carenciadas, por exemplo.

Mais alunos querem apenas concluir o 12º ano

Apesar da formação universitária continuar a ser o objetivo da maioria dos alunos, a verdade é que o número de alunos que quer apenas concluir o 12º ano de escolaridade está a aumentar.

No ano letivo 2013/2014, 54,5 por cento dos 2.192 alunos inquiridos tinha como objetivo o Ensino Superior, valores que representam já uma diminuição de nove pontos percentuais em relação ao ano anterior, quando a percentagem era de 63,5. Os dados, divulgados pela agência Lusa, são do barómetro Educação em Portugal 2014, promovido pela associação Empresários pela Inclusão Social (EPIS).

O número de alunos que apenas quer concluir o secundário aumentou de 32,6 por cento em 2012/2013 para 39,5 em 2013/2014.

“A descida das metas escolares evidenciadas no barómetro estará associada a uma perceção errada sobre quem são as principais vítimas do desemprego, quando comparadas as habilitações académicas”, diz Luís Palha da Silva, presidente da EPIS, em comunicado divulgado pela Lusa.

“O desemprego qualificado referente aos licenciados tem sido mais valorizado. No entanto, o desemprego não qualificado é o que afeta maior percentagem de portugueses”, acrescenta.

Abandono escolar

Em junho, o ministério da Educação anunciou que a taxa de abandono no Ensino Superior público, referente às licenciaturas, baixou de 12,2 por cento em 2012/2013 para 10,3 este ano, atingindo ainda assim 4.819 alunos.

Também no sector privado houve um decréscimo de 16,3 para 12,6 por cento.

Ainda de acordo com os dados disponíveis, a maior parte dos alunos (47,5 por cento) conseguiu entrar na primeira opção no concurso nacional de acesso ao Ensino Superior e 15,4 acabou por entrar na segunda opção escolhida.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *